A Cartier celebra a cultura do design, com uma ode a algumas das suas colecções mais icónicas e que resistiram ao teste do tempo – Santos, Tank, Panthère e Ballon Bleu.

Da sensual fonte oblíqua manuscrita ao monograma C entrelaçado, passando pelas caixas vermelhas adornadas com guirlanda em ouro, a assinatura da Cartier é sinónimo de luxo, riqueza e elegância. Reconhecida como uma das mais importantes Maisons de luxo do mundo, muito do sucesso da Cartier reside no design puro, inconfundível e intemporal dos seus relógios e jóias.

Em 2021, a Cartier apresenta a sua mais recente campanha internacional, intitulada “A Cultura do Design”, que se concentra nas suas criações icónicas. Com ela, a Maison convida os clientes, admiradores de longa data e entusiastas a descobrir, ou em alguns casos a redescobrir, a diversidade das suas colecções icónicas – como Santos de Cartier, Tank, Panthère e Ballon Bleu – através de uma série de imagens impressionantes.

Estes ícones do mundo da relojoaria reflectem os padrões rigorosos e a visão de design da Cartier, que levaram a Maison na sua busca contínua pela forma perfeita. Mais importante, estas colecções são pensadas e criadas com quatro princípios básicos em mente: a pureza das linhas, a precisão das formas, a precisão das proporções, os detalhes preciosos.

Acima de tudo, ao reunir estas colecções exclusivas pela primeira vez, esta campanha homenageia as linhas que são poderosas, limpas, precisas e permanecem desejáveis com o passar do tempo. E, ao fazer isso, a Cartier continua a manter viva a história dessas peças icónicas.

Ballon Bleu

Criado em 2007 a partir de uma nova visão de circularidade, os designers da Cartier envolveram-se para dar mais volume ao simples círculo. Duplamente convexa, a sua forma atinge o equilíbrio perfeito entre linha e volume. Mais importante, para evitar qualquer quebra da linha, a coroa de vidro de safira está perfeitamente integrada na caixa, com a tampa da coroa sob um aro de metal às três horas, protegendo a bolha azul.

Tank

Uma das primeiras criações de Louis Cartier foi o relógio Tank. Louis Cartier encontrou inspiração na pureza da linha para criar um novo formato de relógio em 1917. Inspirado no design de um novo (para a sua época) veículo de combate quando visto de cima, o Tank seguia princípios gráficos claros: os dois ramos paralelos eram os rastros e a caixa era a torre. Curiosamente, dessa combinação surgiu um princípio novo e fundamental, já que as fixações da caixa foram alinhadas com a correia para manter o ritmo do padrão.

Panthère

Criado em 1983, o relógio Panthère apresentava uma caixa quadrada com ângulos arredondados, uma curva contínua das asas e rebites visíveis. Com este relógio, a Cartier aspira a linhas simples, sem perder de vista a suavidade das linhas que tornam este relógio uma jóia por excelência. Com o nome da pulseira ultra-flexível que ecoa os movimentos do animal emblemático da Maison, o Panthère de Cartier foi redesenhado em 2017 e continua a reflectir a feminilidade livre, alegre e triunfante.

Santos

Criado em 1904 por Louis Cartier para o aviador brasileiro Alberto Santos-Dumont, o design do relógio Santos baseava-se no conceito de forma, no gosto pelo minimalismo, na precisão das proporções e na atenção ao detalhe. Como o primeiro relógio de pulso quadrado criado pela Cartier, foi projectado numa época em que os relógios de bolso eram tradicionalmente redondos. De certa forma, o Santos foi verdadeiramente revolucionário. Os parafusos, tradicionalmente escondidos na relojoaria, tornaram-se visíveis e tornaram-se um código estético da colecção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.