Em 2021, a Audemars Piguet revisita, reinterpreta e renova alguns dos seus modelos icónicos, ao mesmo tempo que revela uma nova parceria com a Marvel.

READ THIS ARTICLE IN ENGLISH HERE

Numa apresentação virtual a partir da manufactura da Audemars Piguet, em Le Brassus, na Suíça, o CEO François-Henry Bennahmias e o Director de Complicações, Michael Friedman, levaram os jornalistas à descoberta dos novos relógios Audemars Piguet para o primeiro semestre de 2021. Os “apresentadores de serviço” revelaram ainda a nova parceria da marca com a Marvel Comics. Embora o véu sobre o que trará a nova joint venture não tenha sido retirado, sabemos que foi inspirada na amizade de 11 anos entre Bennahmias e o actor Don Cheadle, que interpreta War Machine na franquia de filmes Vingadores.

Quando questionado, a propósito da nova parceria, sobre qual seria o seu personagem favorito do universo Marvel Comics, Bennahmias respondeu que achava que a sua personalidade estava mais de acordo com o Hulk. Talvez por isso a cor verde tenha assumido preponderância em alguns dos novos relógios. Os outros, com tons mais neutros, poderão ir mais ao encontro da personalidade de Bruce Banner.

Royal Oak Verde

A cor verde tomou conta de cinco novos Royal Oak, mais propriamente do mostrador de cada relógio. Assim, o Royal Oak Cronógrafo Automático combina uma caixa de ouro amarelo com um mostrador verde. O mostrador é adornado com o padrão “Grande Tapisserie”  e complementado com três contadores e com o nome “Audemars Piguet” em ouro de 24 quilates. Alojada numa caixa de 41 mm, cujo fundo sólido apresenta a gravação “Edição Limitada” (125 peças), esta versão do Royal Oak é alimentada pelo calibre automático de manufactura 2385, com massa oscilante em ouro. Além do bracelete em ouro amarelo com fecho de báscula, este modelo é fornecido com duas correias adicionais: pele de bezerro verde e borracha verde.

Sustentando a reputação da Audemars Piguet na criação de complicações complexas, o Royal Oak Turbilhão Voador Automático mostra o talento dos artesãos da Manufactura com três novas variantes. Cada opção é apresentada numa caixa de 41 mm, que emoldura um mostrador Tapisserie verde. A primeira referência surge numa caixa em ouro rosa com marcadores de horas e ponteiros no mesmo tom de ouro e está limitado a apenas 10 peças, enquanto a segunda, limitada a 50 peças, é fabricada em titânio integral. Já o terceiro modelo, limitado a 15 peças, combina uma caixa em titânio com uma luneta em ouro branco com 32 esmeraldas de corte baguette. Ambos os modelos em titânio recebem marcadores aplicados e ponteiros luminescentes em ouro branco, sendo complementados por uma pulseira em titânio. Todos os Royal Oak Turbilhão Voador Automático são equipados com o calibre de manufactura 2950.

 

A completar as novidades com mostrador verde está o Royal Oak “Jumbo” Extra-plano, apenas disponível nas AP Houses. O “Jumbo” de 39 mm é apresentado com uma caixa e pulseira em platina 950, bem como um mostrador verde fumado, decorado com padrão raios de sol. Esta é a primeira vez que esta configuração surge na colecção 15202. A assinatura “Audemars Piguet” está posicionada abaixo das 12h, enquanto as iniciais AP estão localizadas às 6h, como dita a convenção “Jumbo”. No coração do relógio está o calibre automático de manufactura 2121, com massa oscilante em ouro de 22 quilates.

Royal Oak “Jumbo” Extra-plano Diamantes 39 mm

Se não resiste ao brilho dos diamantes, a Audemars Piguet apresenta três novos Royal Oak “Jumbo” Extra-plano com diamantes. Disponíveis numa caixa de 39 mm em ouro branco (com mostrador azul claro ou preto) ou ouro rosa com mostrador azul claro, os novos modelos jóia recebem, cada um, 1102 diamantes de corte brilhante com aproximadamente 7,09 quilates.

Royal Oak Offshore Diver 42 mm

A colecção Royal Oak Offshore Diver foi redesenhada e recebe um novo movimento. Os novos modelos de mergulho apresentam o novo calibre 4308, com 60 horas de reserva de marcha e rotor em ouro rosa de 22 quilates visível através do fundo da caixa, baseado num movimento solotempo introduzido no Code 11.59. A caixa de 42 mm em aço, estanque até 300 metros, emoldura um mostrador Tapisserie cinzento, azul marinho ou verde azeitona, que vê desaparecer o nome da marca, mantendo apenas o logótipo AP.

Os novos Royal Oak Offshore Diver são agora disponibilizados com um sistema de troca rápida e fácil de bracelete, sistema esse que será oferecido em todos os novos modelos da colecção daqui para a frente. Assim, as pulseiras de borracha podem ser substituídas por versões em pele bege, castanha ou preta.

Royal Oak Cronógrafo Automático 41 mm

Os novos Royal Oak Cronógrafo Automático apresentam-se numa caixa de 41 mm em ouro rosa, que emoldura um mostrador Tapisserie castanho chocolate ou azul marinho com contadores de cronógrafo em ouro rosa.

Mas a grande novidade é revelada através do fundo da caixa em vidro de safira. Trata-se do mais recente movimento cronógrafo flyback integrado de manufactura, o calibre 4401, cuja roda de coluna, os martelos do cronógrafo e o acabamento manual são visíveis na parte traseira do relógio.

O toque final é dado pelo bracelete em ouro ou por uma pulseira em pele, a combinar com o tom do mostrador.

Royal Oak Offshore Turbilhão Voador Cronógrafo Flyback Automático 43 mm

Limitado a 100 peças, este Royal Oak Offshore combina duas complicações importantes – o turbilhão voador e o cronógrafo flyback – num novo tamanho de caixa: 43 mm. Lá dentro bate o calibre automático 2967, originalmente lançado para a colecção Code 11.59, mas agora adaptado para o tamanho da caixa deste modelo e redesenhado com pontes de titânio revestidas a PVD preto, escovado, acetinado e polido à mão. Para uma maior dimensão visual, as inserções de titânio alternam entre acabamentos jateados ou polidos. A gaiola do turbilhão voador exibe uma roda de balanço em tons de ródio, enquanto a massa oscilante aberta em ouro de 22 quilates revestido a PVD preto é visível através do fundo da caixa.

Outro dos grandes destaques deste Royal Oak Offshore Turbilhão Voador Cronógrafo Flyback Automático é o novo design, mais ergonómico, da caixa. A nova caixa de titânio de 43 mm não só marca uma nova geração de Royal Oak Offshores, mas também apresenta elementos curvos para uma aparência diferente no pulso. Embora possua chanfros polidos maiores nas extremidades, a luneta, o vidro de safira anti-reflexo, a coroa aparafusada e os botões do cronógrafo foram todos curvados.

Este Royal Oak Offshore disponibiliza ainda o novo sistema de troca rápida e fácil de bracelete.

Code 11.59 Cronógrafo Automático 41 mm

Já a colecção Code acaba de receber um novo material na caixa. Dois cronógrafos automáticos, em ouro branco ou rosa, agora apresentam uma secção intermédia da caixa em cerâmica preta.

Desenvolvidos em colaboração com a empresa de componentes de precisão de propriedade familiar e sediada na Suíça, Bangerter, os centros de caixa em cerâmica, visíveis na lateral, são criados usando pó de óxido de zircónio combinado com um componente aglutinante secreto. Tomam forma através da tecnologia da máquina CNC, após a qual o aglutinante é removido e o componente é então sinterizado a 1.400 graus Celsius. É trabalhado com ferramentas de diamante de alta precisão e, em seguida, pré-polido e escovado acetinado antes de ser acabado à mão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.