Vendantes caixa
Além das questões relacionadas com a qualidade dos materiais, a precisão de fabricação, o desenho dos componentes, o que é certo é que se a água e/ou poeiras não entram dentro das caixas dos relógios é porque são utilizados vedantes em todos os lugares onde existem “aberturas” na caixa.
Seja no vidro, no fundo, na coroa ou noutros botões, a presença de vedantes nesses elementos é essencial para preservar a máquina, o mostrador e os ponteiros, das “agressões” causadas pela humidade ou pelo pó. Salvo algumas (poucas) excepções, estamos a falar de elementos com um custo de produção irrisório, mas cujo benefício é enorme. Visto serem invisíveis, muito raramente pensamos neles, a não ser quando já é tarde demais… Estes elementos são fabricados a partir de matérias da família dos plásticos (Termoplásticos) e das borrachas (Elastómeros), tais como: Hytrel, Zytel, Teflon, Nylon, borracha natural ou sintética. Os termoplásticos são sempre utilizados em conjunto com os vidros e em muitos dos fundos de pressão. A este material pede-se que tenha a resistência mecânica dos plásticos, a flexibilidade das borrachas e que, ao nível da produção, tanto possa ser feito por injecção como maquinado.
Vedante do vidro
Vedante do vidro
No caso das borrachas, estas são sempre utilizadas nos fundos roscados, nas coroas pistões, válvulas de hélio e correctores. A maioria dos fundos aparafusados possui um vedante de borracha. Os mais utlizados são os tóricos de forma redonda, comumente chamados de O-ring, mas todas as formas são possíveis de realizar, visto poder ser fabricado por injecção. A este tipo de vedante pede-se que suporte grandes deformações e que não se molde facilmente, isto é, que depois de deformado recupere a sua forma inicial.
Vedante do Fundo
Vedante do Fundo
Estas matérias estão presentes em diversos objectos do nosso dia-a-dia e quantos de nós já não teve um que se danificou por estar ressequido? No caso dos relógios é idêntico. Estes finos e delicados vedantes precisam de ser substituídos periodicamente pois também eles vão alterar-se, perder as suas qualidades e deixar de vedar a partir de certa altura. A luz do sol, a humidade, a água salgada, as variações de temperatura, os solventes, perfumes, cremes de beleza, são tudo factores que vão ajudar a deteriorar os vedantes. E, quanto mais vezes subtermos um relógio a este tipo de agentes, mais rapidamente de adulteram. Se para algumas pessoas, substituir os vedantes a cada revisão geral é suficiente, outras deverão fazê-lo todos os anos se, por exemplo, praticarem mergulho. 4_O-Ring_732
Coroa de rosca
Coroa de rosca
Outro elemento a ter em consideração (e muita!) e que nada poderá a ter com a condição do vedante, é quando a coroa ou um pistão está torto. A partir desse momento, o veio interior está desviado e o vedante que nele está colocado também o está e poderá não desempenhar a sua função correctamente, deixando de vedar.

PARTILHAR
Mestre Relojoeiro