Conheça um pouco melhor os atletas embaixadores da Omega que marcarão presença nos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

MP_2

Michael Phelps

O Michael Phelps é o embaixador por excelência da OMEGA. Desde 2004, a sua enorme popularidade e sucesso permitiram-lhe trazer um rosto humano aos valores da marca.
Os factos falam por si: Michael ganhou oito medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, conseguiu sete recordes mundiais e uma marca Olímpica. Quatro anos antes, em Atenas, ganhou seis medalhas de ouro e duas de bronze, por isso o seu impressionante total Olímpico conta com 16 medalhas de ouro e duas de bronze.

Interrogado sobre como a sua performance em Pequim mudou o seu desporto, Michael afirma: ” Uma das coisas mais extraordinárias a que assisti é que agora as pessoas estão realmente a ver as competições de natação. As pessoas sabem os nossos nomes. As pessoas estão lá a aplaudir-nos e a dar-nos força”. Continua, “é muito divertido ver os jovens a crescerem no desporto. Eles vão viver tudo pelo que nós passámos e ainda mais. É giro tentar pensar onde poderão estar dentro de cinco ou dez anos.”

As expectativas colocadas em alguém que tem desfrutado o nível de sucesso do Michael Phelps são enormes. Será que ele vai ser capaz de lidar com isto nos Jogos Olímpico de Londres 2012? Ninguém está a apostar contra ele.


Chad le Clos_1

Chad le Clos

Chad le Clos, o nadador sensação sul-africano de 20 anos, juntou-se à família dos embaixadores OMEGA. Chad causou uma forte impressão na OMEGA nos Jogos Olímpicos da Juventude em Singapura 2010 ao ganhar cinco medalhas. No mesmo ano conquistou o ouro nos 200 metros mariposa e nos 400 metros estilos nos Jogos da Commonwealth, conquistando recordes em ambos os eventos. No Campeonato do Mundo de Piscina Curta em 2010, Chad le Clos ganhou a medalha de ouro nos 200 metros mariposa.

Chad está ansioso para participar pela primeira vez no Jogos Olímpicos e diz, ” no meu 17º aniversário em 2009, quando eu me qualifiquei para o Campeonato do Mundo em Roma, nadei 400 metros estilos em 4:16 e a partir desse momento, percebi que poderia ir aos Jogos Olímpicos. Estou confiante nos resultados que posso atingir mas vai ser a maior e mais prestigiante competição da minha vida. Vou-me concentrar numa prova de cada vez.”


Jessica Ennis for OMEGA

Jessica Ennis

Jessica Ennis, estrela desportiva britânica de 26 anos, é uma das atletas dominantes da sua geração, tendo ganho o Campeonato do Mundo e Europeu na prova de heptatlo bem como o Campeonato do Mundo de Pista Coberta em pentatlo.

Impedida, devido a uma lesão, de participar nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, Jessica tem vindo a preparar-se para o palco olímpico há muitos anos e aguarda ansiosamente a chegada dos Jogos Olímpicos de Londres. Afirma, “tenho-me preparado a vida inteira para competir nos Jogos Olímpicos. Embora me prepare todos os anos para os campeonatos, é o sonho de qualquer atleta competir a este nível – é sempre o objectivo de longo prazo. E o facto de ser em casa torna este sonho ainda mais especial.”

Questionada sobre o seu sentimento antes de uma competição a este nível, Jessica afirma, “Imagino que antes do meu evento Olímpico, estarei cheia de nervos, adrenalina e excitação. Eu sei, pelas grandes competições anteriores, que é sempre assim. Existe um sentimento estranho antes de se competir, pois este é o momento de pôr em prática tudo que se tem aprendido e trabalhado nos últimos anos, e tudo se resume àqueles momentos muito curtos.”


Tyson_Gay_1

Tyson Gay

Tyson Gay é um dos atletas mais falado em todo o mundo e o seu triplo Campeonato do Mundo em 2007 colocou-o de forma proeminente no mundo do atletismo. No período que antecedeu os Jogos Olímpicos de Pequim 2008, a imprensa desportiva mundial e os fãs estavam focados em todos os seus movimentos – o seu desempenho de 9.68 segundos nos 100 metros foi o tempo mais rápido alguma vez registado nesta distância, apesar da ajuda do vento.

Como resultado, quando a sua campanha foi travada por uma grave lesão na prova de 200 metros nas provas olímpicas, a decepção foi especialmente intensa. Não obstante, o carismático e popular sprinter descreveu a sua experiência em Pequim como “o melhor momento da sua vida”, pelas pessoas que conheceu e pela calorosa reacção dos fãs, tanto no estádio como em todo o mundo.

Foi o optimismo e a atitude mental de Tyson Guy que lhe permitiu regressar à corrida entusiasticamente, firme na sua convicção que os seus melhores tempos ainda estão pela frente.

Solicitado para comparar o que é competir nos Jogos Olímpicos e competir noutros grandes eventos desportivos, Tyson diz, “competir nos Jogos Olímpicos é diferente devido à longa história dos Jogos e o que eles se tornaram: o maior e mais prestigiante evento desportivo do mundo. Uma vez que acontece apenas a cada quatro anos, é mais emocionante e interessante. Nada se compara com o sentimento de adrenalina quando entramos no estádio Olímpico.”

Tyson diz que as exigências psicológicas e físicas das competições Olímpicas são extraordinárias: “a minha mente estava altamente focada durante a minha última experiência olímpica. Os meus nervos estavam loucos e a minha mente estava muito agitada por isso foi muito difícil dormir na noite anterior. Desde aí, tenho aprendido a controlar as emoções e o nervosismo das grandes corridas para usar toda essa energia durante a corrida e não antes.”

Turbilhão
A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.