Directora de Marketing da IWC desde 2015, Franziska Gsell salienta a importância do universo feminino para uma marca cujo mote é “Engineered for Men” e fala-nos dos desafios e oportunidades da Internet para uma Maison com mais de 100 anos de história.

O mote da IWC é “engineered for men”. Mas, nos últimos anos, a marca tem vindo a prestar mais atenção ao universo feminino. Qual o papel e importância deste para a IWC?

O mercado feminino é muito importante para a marca. A história da IWC é rica em relógios femininos. A partir de 1870, a IWC começou a produzir relógios de senhora e foi apenas na história mais recente da marca que nos focámos mais nos homens. Este mote arrojado e autoconfiante também é muito atractivo para mulheres fortes. Temos mulheres a comprar peças do tempo maiores porque gostam desta força da marca. Em resumo, a IWC sempre produziu relógios femininos, apenas fez uma pausa nos anos mais recentes. Há dois anos começámos a trabalhar na reintrodução de relógios femininos. Trata-se de uma colecção de tamanho médio. As mulheres também têm interesse em relojoaria e não seria inteligente excluir esse potencial.

 

A IWC tem quase 150 anos de história, mas apenas há cerca de 20 anos é que começou a ganhar a notoriedade que tem hoje…

De facto, o que começámos a fazer foi contar a história das nossas famílias de relógios. Possuímos seis famílias distintas e começámos a contar histórias interessantes sobre elas. Não introduzimos novas famílias.

 

Então o conhecimento internacional sobre a marca deveu-se a essas narrativas?

Não diria isso. Fomos fundados por um americano e, na altura, foi pioneiro que um americano tenha vindo para a Suíça e introduzido o modo americano de produzir relógios e manufacturar tudo numa casa, o que não se fazia na Suíça na altura. Ele foi um pioneiro e era americano, por isso é que o nosso nome é Internacional Watch Company, porque ele tinha, desde o início, o desejo de produzir para o mundo, particularmente para americanos, a partir da Suíça. Por isso, desde uma fase embrionária que a marca é verdadeiramente internacional.

Considera que os amigos da marca ajudaram neste processo?

Sim, claro. Os amigos da marca são verdadeiros amigos e fazem parte da família da marca. Trabalham como embaixadores da marca. E é muito importante a relevância que essas pessoas têm nos diversos mercados para ajudar a espalhar as notícias e o nome da IWC. É por isso que os seleccionamos criteriosamente.

Texto deMarina Oliveira, em Genebra, Suíça
PARTILHAR
Directora/Editor in Chief | Revista Turbilhão