A Lenda da Bentley

16

Walter Owen Bentley criou a Bentley Motors a 10 de Julho de 1919. Hoje, passados 100 anos, o seu apelido é reconhecido em todo o mundo, e os automóveis um testemunho vivo do melhor que se pode fazer sobre quatro rodas.

A Bentley criou um pack comemorativo, com pormenores exclusivos para celebrar os seus primeiros 100 anos. Não se trata de mais uma opção, e estará presente em todos os automóveis deste ano. Ou seja, cada um dos cerca de 10 mil Bentleys vendidos em 2019 será, também, uma edição histórica, nunca mais repetida. Um presente digno de uma das poucas linhagens míticas da indústria.

BENTLEY – Continental GT Number 9 Edition / Mulsanne W.O. Edition e 8 Litros

A história do automóvel faz-se com alguns nomes lendários: Karl Benz, Ferdinand Porsche, Enzo Ferrari, Ettore Bugatti e Walter Owen Bentley. Ou W.O., como preferia ser chamado. Engenheiro nos caminhos de ferro, mas apaixonado pela velocidade, W.O. acalentava há muito o sonho de criar a sua própria marca automóvel quando rebentou a primeira Guerra Mundial. Desenhava na época motores de aviões para a jovem força aérea inglesa, utilizando o mais eficiente alumínio. Com o fim da guerra, e como reconhecimento pelos serviços prestados, W.O. foi agraciado com a Most Excellent Order of the British Empire, bem como com um prémio de oito mil libras. Foi o capital necessário para fundar, numa pequena garagem de Londres, a Bentley Motors. A sua missão, disse-o na altura, seria “Construir um carro rápido, um bom carro, o melhor na sua classe”, frase que ainda hoje permanece o lema da Bentley. Nos anos seguintes realizou esse sonho por várias vezes, com automóveis luxuosos, que quebravam recordes de velocidade e ganhavam corridas. Le Mans e Bentley estarão para sempre ligadas, tal foi o domínio da marca inglesa nos primeiros anos da corrida francesa: quatro vitórias consecutivas entre 1927 e 1930, os quatro primeiros lugares em 1929, cinco vitórias nas oito primeiras provas. Foram os anos de um grupo extraordinário de amigos, gentleman’s drivers, que ficaram conhecidos como os Bentley Boys.

Bentley Blower

Mas por vezes não é nas vitórias que se faz a história: os Bentley Blower nunca venceram em Le Mans, mas a forma como um deles ultrapassou o Mercedes de Rudolf Caracciola na curva de Mulsanne na edição de 1930 marcou. E se hoje há um Mulsanne na linha da Bentley, a ele se deve, tal como o Bentley Continental GT Number 9 Edition by Mulliner, uma edição do centenário em honra do Blower original. Limitada a 100 exemplares, cada uma conta com um pedaço de madeira do banco do modelo que correu em Le Mans, removido durante um restauro recente.

E o que dizer do Blue Train Bentley Speed Six, e da fantástica aposta que lhe deu o nome? O Blue Train era um comboio que fazia a ligação entre a Cote D’Azur, no sul de França, e o porto de Calais, a norte, onde se apanhavam os ferries para Inglaterra. Era famoso precisamente pela velocidade com que fazia essa ligação. Em 1930, Wolf Barnato, vencedor por três vezes em Le Mans e CEO da companhia, jantava a bordo de um iate no sul de França quando apostou 200 libras em como conseguia chegar a Londres antes que o Blue Train parasse em Calais. No dia seguinte, às 17h45 em ponto, o comboio partia da estação de Cannes e Barnato arrancava no seu Bentley. O automóvel chegou às 10h30 da manhã a Calais, a tempo de apanhar o ferry e atravessar o canal. Prosseguiu viagem até Londres onde Barnato estacionou, à porta do seu Clube, precisamente às 15h20. Quatro minutos antes do Blue Train chegar à estação de Calais. Uma recente recriação da viagem, com um Continental GT, bateu por muito o tempo de Barnato.

PARTILHAR
A área do Lifestyle tem muito poucos segredos para Bruno Lobo, jornalista com mais de 15 anos de experiência. Da moda aos automóveis, da relojoaria à tecnologia, da gastronomia à beleza. Porque “a vida é bem mais agradável com estes pequenos grandes prazeres”. GQ e Fora de Série são duas revistas onde o seu cunho se sentiu mais forte, mas já colaborou com várias revistas nacionais e internacionais, incluindo a Turbilhão, “com enorme prazer por poder contribuir para este projecto editorial”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here