Quando abriu, este primeiro resort cinco estrelas do Algarve, tornou-se um dos mais exclusivos da região pelas suas características e localização. Nomes famosos, como Carolina do Mónaco, elegeram-no para as suas férias e ajudaram a projectar o nome Vilalara além-fronteiras.

Erguido numa falésia sobre uma pequena baía, o Vilalara passou a ser conhecido, a partir de 1990, também pelo seu Centro de Talassoterapia e Spa. A história do hotel, actualmente com o nome Blue&Green Vilalara Thalassa Resort, remonta a 1966 quando, num passeio de barco, o inglês George Ansliy descobriu aquele terreno de 11 hectares.

Quis construir ali um aldeamento, tendo como inspiração a zona mais luxuosa da Sardenha – até pelas semelhanças paisagísticas. Inicialmente são construídas vilas e, em 1967, com o nascimento da neta de George Ansliy, Lara, o projecto ganha o nome de Vilalara.

Vista_732x458
Três anos depois, é Léon Levy que adquire a propriedade e a transforma num “clube privado”. Inaugurado o hotel, passa a ser frequentado por personalidades famosas dada a sua localização, que facilita a privacidade. Com a criação do centro de talassoterapia, com tratamentos especializados e terapias à base de água salgada (ver caixa) em 1990, o Vilalara tornou-se um hotel de referência nesta área, muito antes da “moda” dos spas.

Em 2007 o grupo Amorim Turismo adquiriu o resort e aproveitou para fazer obras de renovação durante oito meses. Em Junho de 2009, o Vilalara abriu de “cara lavada” e com uma nova imagem, adaptada aos tempos de hoje.

Localização de sonho

Empoleirada na falésia, o Vilalara tem a seus pés uma praia fantástica. Com acesso directo, a Praia das Gaivotas, protegida entre rochas, é um dos estandartes do hotel. E se nas imediações, há outras praias de interesse que vale a pena visitar, como a Praia da Marinha (eleita já como uma das 10 praias mais belas da Europa e uma das 100 do Mundo pelo Guia Michelin) esta é também uma das mais belas da zona.

E, ali perto, podem visitar-se de barco as grutas da Senhora da Rocha. Já a praia de Armação de Pêra, outrora conhecida pelo seu vasto areal é agora uma paisagem bastante arruinada pelo excesso de betão.

rest-bg-02_732

Neste “templo” de bem-estar e tranquilidade, os prazeres da mesa não foram descurados. Dois restaurantes, também eles renovados, junto à piscina, servem com vista para o mar. O B&G oferece cozinha portuguesa inovadora, apostando em produtos locais de qualidade e em menus gourmet de baixas calorias. Já o Terrace Grill tem uma carta, como o nome indica, virada para os grelhados, com peixe fresco, marisco e, no Verão, barbecues com música ao vivo.

rest-bg-03_732

Ainda nesta zona panorâmica da piscina o apropriadamente baptizado Tonic Lounge Bar tem o cenário favorito para um cocktail ao por do sol ou para o convívio nocturno. O Vilalara dispõe de quatro courts de ténis nos seus 11 hectares e possibilita a prática de golfe nos campos da região. O resort constitui ainda um refúgio atraente para as famílias: além de todos os predicados referidos, dispõe de um Kids Club – o Koala Club – para crianças dos três aos 12 anos de idade com animadores profissionais.


A riqueza da talassoterapia

O Centro de Talassoterapia, que tanta notoriedade trouxe ao Vilalara, tem 2600 m2 e oferece hoje os mais recentes equipamentos e técnicas. Concebido em 1990 pelo especialista Jean Bobet, de Biarritz, pelo arquitecto de Vilalara, Ramiro Laranjo, e por Samuel Paillat, um decorador de interiores de Genebra, o centro e spa é um dos “trunfos” do resort. Já depois das remodelações em 2009, obteve um prémio da Condé Nast Traveller que o considerou um dos cinco melhores do mundo.

A juntar-se à talassoterapia – a utilização combinada de água do mar, ar marinho e substâncias extraídas do mar (como lamas, algas e areia) -, e que se recomenda para curas adelgaçantes, anti-celulite ou anti-tabaco, existe agora um spa com massagens da marca francesa Thali.

TEXTO DECélia Pedroso
COMPARTILHAR
A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.