Construído com audácia num rochedo que entra mar adentro, rodeado de praias de areias brancas e de recifes de corais, o hotel mais antigo da ilha de Saint-Barthélemy tem uma mística especial que só pode ser compreendida se vivida sem pressas, apreciando cada momento.

Situada nas Antilhas Francesas, Saint-Barthélemy – ou St. Barths, como também é conhecida – é uma ilha per­dida na imensidão azul-turquesa do mar do Caribe. Ponto de encontro da elite internacional, a sua mistura única de sofisticação europeia e exotismo caribenho exerce um irresistível fascínio. Reconhecida pelas suas praias de areias brancas de perder de vista e pelo seu mar cerúleo, de águas calmas e quen­tes, St. Barths é um destino com fortes influências europeias – sobre­tudo suecas e francesas –, que marcam presença na sua cozinha e na arquitectura da capital, Gustavia. Antigas mansões, restaurantes, hotéis de luxo e lojas pontilham os 25 quilómetros quadrados da ilha, convidando à descoberta.

Este pequeno paraíso na terra foi “redescoberto” por Rémy de Hae­nen, que, para além de ter sido o seu mayor, foi também o primeiro aviador a aterrar na ilha. Excêntrico e aventureiro, nos anos 50 apai­xonou-se pelo promontório rochoso sobre a baía de St. Jean, que se erguia altaneiro, parecendo querer desafiar o mar, e aí decidiu construir a sua residência. Transformada em hotel, depressa se tornou o escon­derijo favorito dos seus amigos de Hollywood. Como Greta Garbo, que fez o check-in sob o nome Suzy Schmidt para passar um fim-de­-semana, acabando por permanecer durante três semanas, ou o mul­tifacetado milionário Howard Hughes. Membros das famílias Rothschild e Rockefeller eram também hóspedes recorrentes. Em 1995 foi a vez de David e Jane Mathews se renderem aos encantos de St. Barths. Trocaram definitivamente a fria Londres pela luz das Caraíbas e adquiriram o hotel, que hoje é gerido em par­ceria com a alemã Oetker Collection.

Aliás, a marca dos Mathews está bem pre­sente em diferentes espaços do hotel. As peças de arte da sua colecção privada – algu­mas das quais criadas pela própria Jane, que é também uma artista –, o mobiliário antigo restaurado e as fotografias de família em locais inesperados conferem uma atmosfera inti­mista, numa combinação perfeita entre luxo e ambiente familiar.

Eden Rock-04Se estes argumentos já o convenceram a ficar, pode escolher entre os encantadores quartos, chalés ou casas com acesso directo para a praia ou rodeados de jardins luxurian­tes, uma das requintadas suites ou uma extra­vagante villa. Uma das mais icónicas, a suite Howard Hughes, é um loft com deco­ração inspirada na aviação – uma das muitas paixões do milionário – e uma considerável biblioteca. Já a suite Greta Garbo traz para o presente o inconfundível glamour de Hollywood dos anos 50. Mas se preferir um design mais minimalista, escolha a Cristóvão Colombo, com as suas amplas janelas de vidro que abrem o olhar para uma vista esplendo­rosa sobre o mar.

Não é possível falar do Eden Rock St. Barths sem referir a impressio­nante villa Rockstar – quase um hotel dentro de um hotel, com piscina privada, cinema, ginásio, mordomo a tempo inteiro e, na garagem, um Mini Cooper e uma Harley-Davidson para partir à descoberta da ilha. Mas o que torna esta villa realmente lendária é o seu estúdio de grava­ção, onde pode encontrar a mesa de mistura que John Lennon utilizou na gravação do tema Imagine.

image22Há mais maravilhas para desvendar nesta pérola das Caraíbas. A pró­xima paragem é o restaurante On The Rocks: um nome que não pode­ria ser mais adequado, já que fica dramaticamente empoleirado no promontório. Os produtos mais frescos do mar são os protagonistas do menu cuidadosa­mente pensado pelo chef Jean-Georges Von­gerichten, que também está ao comando dos sabores do Sand Bar, onde, se preferir, pode degustar uma refeição mais ligeira com os pés assentes na areia.

Não deixe também de visitar a galeria de arte do hotel, cujas exposições resultam de cola­borações com algumas galerias notáveis, como a Gagosian ou a Tony Shafrazi. O Eden Rock St. Barths é ainda um dos poucos hotéis com um programa de artistas em residência, abrindo as suas portas a artistas que, por uma temporada, podem afastar-se no mundo e (re)encontrarem aqui a inspiração e a absoluta liberdade para criar.

hotel-newsSim, o Eden Rock St. Barths é, como já dissemos, um paraíso idílico nas Caraíbas. Mas é muito mais do que isso. É também um espaço de inspiração, onde a beleza de uma natureza generosa, o luxo des­pretensioso e a arte de bem receber nos faz esquecer que existe um mundo lá fora.

Texto deCompanhia das Cores
PARTILHAR
A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.