Magia colombiana

Cartagena

102

Colonial e nostálgica, Cartagena também é sofisticada e cosmopolita. Uma cidade mágica e sedutora que se cola à pele de quem a visita, como as páginas de um romance de Gabriel García Marquez…

Com o mar do Caribe em pano de fundo, as ruas de Cartagena das Índias parecem cenário de um filme. Fundada pelos espanhóis em 1533, esta cidade colonial está imaculadamente preservada, o que perpetua a estranha sensação de, a qualquer momento, podermos dar de caras com verdadeiros piratas. Durante séculos, muito do ouro que vinha para a América do Sul passava por este porto estratégico, o que levou ingleses, franceses, holandeses e portugueses a tentarem conquistar a mais preciosa das damas das Américas e os canhões que apontam em direcção ao mar ainda hoje recordam esses tempos…

Declarada Património Histórico da Humanidade pela UNESCO, Cartagena é o destino turístico mais famoso da Colômbia. E se é verdade que o bairro de Bocagrande, à beira-mar, é feito de arranha-céus ao estilo de Miami, o centro histórico consegue a proeza de não perder pitada do seu charme antigo. Talvez graças à protecção das muralhas fortificadas, a Ciudad Vieja encerra uma atmosfera que é familiar a quem já tenha lido Gabriel García Márquez. O som dos cascos dos cavalos que puxam as carruagens, agora cheias de turistas, transportam-nos para as páginas de O Amor em Tempos de Cólera. O célebre realismo mágico que paira nos romances do Prémio Nobel da Literatura está em toda a parte: no calor tropical, nas plazas onde as crianças jogam à bola, nos pátios e fontes de água fresca, no doce som da salsa que serpenteia pelas ruas, nas conversas em torno dos tabuleiros de xadrez, nos fantasmas das velhas mansões agora transformadas em hotéis-boutique… e até nas palenqueras de saias esvoaçantes que seguem pela rua, equilibrando na cabeça vários quilos de fruta tropical.

PARTILHAR
Jornalista Viciada em hotéis, Catarina Palma está sempre a par das últimas novidades da hotelaria mundial. Começou a trabalhar no jornal PÚBLICO, mas foi a escrever sobre viagens que descobriu a sua verdadeira paixão. “Quem quer escrever sobre políticos, quando pode escrever sobre o melhor do mundo?” Directora da Rotas & Destinos durante mais de 10 anos, revista de viagens que deixou saudades, coordena actualmente o projecto Lisbon Shopping Destination e escreve sobre temas de luxo e lifestyle para diversas publicações, como a TURBILHÃO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here