A marca de luxo Aston Martin lançou-se agora na construção do AM37, um projeto que faz deslocar o seu terreno de eleição, os carros desportivos, para o mar. Tudo pensado com a mesma importância nos detalhes, no conforto e no luxo.

A marca Aston Martin transporta-nos, de imediato, para o universo dos carros desportivos e também à saga de James Bond, que em 1964 colocou Sean Connery ao volante de um Silver Birch DB 5 no filme Goldfinger e que continua a ligar a personagem aos desportivos da marca britânica. No entanto, em 26 de Setembro passado, no decorrer do Salão Náutico do Mónaco, a surpresa foi geral quando viram a Aston Martin dar nome a uma elegante embarcação, cujo design surpreendeu os visitantes pela sua elegância. A marca de luxo acabava assim de entrar no mundo náutico e, com ela, o ADN que sempre a norteou, agora sobre as águas: Power, Beauty, Soul.

De seu nome AM37, mede 11,10 metros e na sua versão S, a mais sofisticada, apresenta 520 cv de potência, podendo atingir uns estonteantes 50 nós. Como se vê, ‘power’ é o que não lhe falta. Os dois anos de pesquisa em todo este projeto tentaram aliar a alta tecnologia com o luxo. Por isso mesmo, a segunda preocupação – ‘beauty’ – levou a que se juntassem os designers da Aston Martin em colaboração com a Mulder Design, empresa náutica holandesa famosa em projectos de super iates rápidos e de alta qualidade. E o resultado foi a transposição da linguagem do design e proporções da marca britânica para o AM37.

As suas linhas exteriores preocupam-se em apresentarem imagem limpa e muito aerodinâmica, resultando num conjunto de extrema elegância. O vidro da frente, por exemplo, resulta numa única peça desenhada ao longo de toda a parte que alberga a zona de comandos e a própria cabina. O painel, todo em fibra de carbono, recebeu muitos traços semelhantes aos carros desportivos da Aston Martin e dele se destaca um volante forrado a pele. Verifica-se, igualmente, extremo cuidado em ajudar ao máximo conforto dos 8 passageiros que podem ser transportados a bordo, oferecendo-lhes vários sistemas de entretenimento e com multifunções multimédia. O ‘deck’, em teca, é deslizante e há três painéis em carbono que se abrem, colocando o habitáculo a descoberto. A recolha dos painéis é feita à popa. Entretanto, uma cobertura dupla abriga-nos do sol se assim o pretendermos. E tudo premindo um único botão.

O interior do AM37 tem um sofá que se converte em cama dupla, uma mesa e um chuveiro, além de ar condicionado, frigorífico, micro-ondas e uma máquina de café, tudo em nome do maior conforto a bordo. Quanto ao casco, construído num sistema em sanduíche, engloba resina epóxida e carbono. Com dois motores Mercury V8, temos duas versões; a AM37 S e a AM37, com esta a diminuir a sua potência para 370 cv, podendo mesmo assim atingir velocidades de 45 nós. Ambas as versões estão disponíveis a gasolina, mas a AM37 tem também uma oferta a Diesel.

Sem dúvida que a entrada da Aston Martin no mercado náutico é uma agradável surpresa e esta marca fundada em 1913 mantém, mesmo sobre a água, um impressionante estatuto de luxo e, claro, não foge ao seu princípio: ‘power, beauty, soul’, sendo que a alma, a raça, são o elemento distintivo não só da própria embarcação, mas também de quem a pilota.

PARTILHAR
José Manuel Moroso integrou os quadros do EXPRESSO como jornalista e aí trabalhou em várias áreas durante mais de 20 anos. Foi durante muitos anos responsável pela famosa secção Gente (Expresso), substituindo Pedro d’ Anunciação, passou pela política, foi editor de desporto, editor dos Guias do Expresso e do Livro da Boa Cama e da Boa Mesa e editor da Sociedade. Especializou-se, também, em críticas de vinhos e a escrever sobre relógios. Transitou, depois, para o jornal Sol, acompanhando a anterior direcção do EXPRESSO, onde se manteve nove anos, até ao final de 2015.