CEO da Panerai desde 2018, e com enorme experiência na área da Alta Relojoaria, onde se move há mais de 20 anos, Jean-Marc Pontroué, em conversa com a Turbilhão, fala sobre a importância do universo que inspira cada produto Panerai, explica como a marca se adaptou a 2020 e sublinha que este é o ano do Luminor, uma colecção que celebra o 70.º aniversário.

Gerir a Panerai deve ser um dos desafios mais interessantes, e difíceis, para um CEO na indústria. O que sente depois de 2 anos à frente da empresa?

Gerir a Panerai é um desafio diário interessante, uma vez que estamos empenhados em repensar de forma contemporânea os nossos relógios, mas deixando o nosso legado inalterado. As nossas raízes históricas continuam a abrir novos horizontes a serem explorados no futuro. Esta é a nossa maior vantagem baseada numa valiosa história por trás de  relógios icónicos, reconhecidos globalmente num ápice.

Como se apaixonou pela marca? E qual é o seu favorito até agora?

A Panerai possui uma história fascinante materializada nas suas raízes militares e no universo marinho. É importante sublinhar que, desde o seu início, a Panerai começou a fabricar  instrumentos pensados para acompanhar as necessidades da Marinha italiana com uma enorme confidencialidade. O meu relógio favorito é uma das nossas maiores novidades lançadas este ano: o Luminor Marina Fibratech™ (PAM01663), com o qual a Panerai  confirmou uma vez mais o seu forte empenho como pioneira na inovação de materiais. Obtido através de fibras naturais e eco-sustentáveis, o Fibratech  é um composto com notáveis propriedades físicas e mecânicas. É 60% mais leve que o aço, duradouro e com uma alta resistência à corrosão.

Luminor Marina Fibratech™

A Panerai fabrica uma das silhuetas mais reconhecíveis em relógios mecânicos – mas não é arriscado depender tanto de uma estética específica?

Não, todas as marcas de luxo caminham para criar um produto icónico reconhecido com características realmente distintivas, que permitem a associação com a marca num ápice, sem necessidade de apresentações.  Isto é comum em vários segmentos de produtos de luxo, como carteiras, sapatos, carros. É fácil identificar um Panerai num pulso, seja um Luminor, um Luminor Due, um Radiomir ou um Submersible, e isso faz parte da nossa identidade.

O ano passado, a Panerai começou a vender relógios juntamente com experiências. Pode explicar a estratégia e se é para ficar?

Hoje em dia, a procura de uma experiência associada a um produto está a aumentar, de facto, os consumidores de luxo começaram a viver de forma diferente e a pesquisar um valor significativo que vai além dos produtos. Os relógios não são apenas instrumentos; também fazem parte da nossa história pessoal. Queremos oferecer aos nossos clientes todo o pacote, que inclui o que o nosso universo representa. Esta é a razão pela qual temos pensado experiências de edição limitada, relógios que permitem aos felizes proprietários o acesso a uma experiência única.  Os nossos clientes estão interessados em saber mais sobre a marca, querem mergulhar no nosso património histórico. Foi por isso que tivemos experiências incríveis. Foram criadas para serem feitas no centro dos nossos projectos. No ano passado, os nossos clientes tiveram a oportunidade de mergulhar ao lado do campeão mundial de mergulho livre, o francês Guillaume Néry; ou mesmo de treinar durante dois dias com a COMSUBIN, as forças especiais de elite italianas. O pacote com experiências era algo completamente novo, e foi um grande sucesso.

O que espera ganhar com a sua parceria com a Luna Rossa, a Challenger da 36ª Copa América?

No ano passado, iniciámos uma parceria de vários anos patrocinando a concorrente italiana Luna Rossa. A colaboração envolve o regresso da equipa Luna Rossa à Copa América – o troféu mais antigo e prestigiado do mundo desportivo – e estamos a produzir uma série de relógios inspirados directamente nas tecnologias e materiais utilizados na Copa América. Os novos relógios farão então parte do equipamento diário utilizado pelos membros da equipa de vela Luna Rossa. Este ano tivemos o grande prazer de apresentar o Luminor Luna Rossa GMT (PAM01036), um modelo com um alto grau de sofisticação. É uma expressão pura da afinidade entre a Panerai e a Equipa que lançou pela primeira vez o desafio ao Defensor da 36ª Copa América, sendo o acto final em Auckland, na Nova Zelândia, em 2021.

2020 foi um ano muito atípico devido à pandemia Covid-19. Como é que isso afectou a Panerai e que tipo de medidas foram tomadas para se adaptar a estes tempos atípicos?

2020 levou a indústria de luxo numa nova direcção se estivermos atentos a todas as oportunidades que temos pela frente.  Na Panerai tivemos de lidar com uma situação muito difícil devido ao facto de termos de fechar a nossa Manufactura para prevenir a segurança das nossas equipas e isso significou replanear todos os lançamentos de produtos já planeados. É claro que a Panerai demonstrou  uma forte resiliência na leitura rápida do novo cenário. Além disso, experimentámos novas formas de apresentar os nossos principais destaques  aos clientes, media, retalhistas, através do lançamento da plataforma W&W. Foi  um grande desafio em termos de  exploração máxima da nossa capacidade de rápida re-adaptação e, ao mesmo tempo, pensar fora da caixa, produzindo elevados conteúdos criativos para nos mantermos perto dos nossos clientes.

Acha que esta pandemia vai mudar para sempre a forma como nos conectamos, e a forma como as marcas vão apresentar os seus produtos e falar com os seus clientes?

A crise não deixará a indústria de luxo inalterada, mas é também uma grande oportunidade para voltar ao valor da  autenticidade. É claro que haverá uma polarização na indústria entre as empresas capazes de recuperar os mercados globais e novos sinais, agindo proactivamente em conformidade, e as que ainda gerem as marcas de forma obsoleta. A pandemia vai forçar a indústria a pensar de forma mais criativa e inovar mais rapidamente, tentando  antecipar as tendências e novas necessidades. Entre as principais tendências que vão acelerar estão: um comportamento digital e fortalecer o e-commerce, bem como ferramentas de CRM, de forma a interceptar dados-chave significativos dos clientes; as questões das redes sociais, uma vez que a nova geração procura muitas vezes marcas que apoiem causas com que se preocupam e um número crescente está especificamente preocupado com a questão ambiental, bem como com as alterações climáticas.

É possível prever tendências na indústria relojoeira?

O sistema de luxo global  será  repensado de acordo com a recriação de novas formas de manter relações vibrantes com consumidores, imprensa e  parceiros comerciais.   É o momento para a indústria de luxo    explorar formas alternativas de entregar o mesmo tipo de magia que antes fazia através de eventos/feiras. O conceito  “Luxo Experiencial” continuará a desempenhar um papel fundamental, contribuindo para impulsionar as emoções dos clientes. Por último, o envolvimento digital, uma vez que todas as marcas são chamadas a acelerar os investimentos digitais e a transferir os gastos dos media para canais online, com foco na activação do cliente e não na construção de marcas.

Qual será a paisagem do luxo depois da Covid-19 da perspectiva da Panerai?

Penso que a indústria de luxo nunca foi tão forte como antes da pandemia Covid 19. Trazendo criatividade e disrupção em termos de desenvolvimento de produto, acredito que nos manteremos fortes. Acredito firmemente que as coisas vão recuperar. Pode demorar um pouco, mas não é a primeira crise que a indústria relojoeira  teve de  enfrentar, embora esta seja difícil porque está a afectar o mundo inteiro e, claro, tanto a saúde como os negócios.

Como está o e-commerce para a Panerai? Aumentou devido à Covid-19?

Caminhamos para novas formas de compra, entre as quais o comércio electrónico, que continuará a acelerar e a crescer significativamente. Acredito no aumento da confiança nas compras online e na possibilidade de ter acesso exclusivo a um produto que não está disponível  em nenhum outro lugar, ou antes do seu lançamento, o que irá aumentar a sensação de “escassez” que é uma característica típica do segmento de luxo. Estamos neste momento a pensar em como alavancar novas estratégias para tornar os nossos relógios ainda mais exclusivos para o mercado.

Um número crescente de marcas está a abandonar as maiores feiras da indústria relojoeira. Ainda acredita na relevância de tais feiras?

Acredito na ideia de uma apresentação global aos jornalistas, aos decisores de opinião e aos clientes. É a forma mais eficaz de apresentar as novidades da nossa marca, de falar e de conhecer centenas de pessoas num único local e em poucos dias. O que é interessante ver no futuro é como estes eventos/feiras globais serão repensados de acordo com uma perspectiva B2C em vez de  B2B,  de modo a manter uma relação mais próxima com os consumidores tornando-os verdadeiramente envolvidos no universo das novidades da marca.

A Panerai dedica este ano à sua colecção Luminor. Um dos destaques é a utilização de materiais inovadores. Qual é a estratégia por trás desta procura de novos materiais? O que estes materiais podem trazer para a indústria relojoeira?

Este ano reafirmamos o nosso forte compromisso como pioneiros na inovação de materiais. Graças ao  Panerai  Laboratorio  di Idee  desenvolvemos, ao longo dos anos, materiais de ponta, nunca utilizados na indústria relojoeira, mais resistentes à corrosão, com propriedades hipoalergénicas e também mais leves. Este ano celebramos o nosso icónico Luminor, que completa 70 anos, e como grande tributo ao ícone decidimos esticar ao máximo a nossa criatividade para  o reimaginar.

Algum modelo que gostaria de salientar da nova colecção? Porquê?

Não é fácil e não seria justo escolher apenas um modelo porque toda a colecção é especial com diferentes materiais e também diferentes emoções associadas. Temos relógios que prestam homenagem à introdução da Super-Luminova e com uma garantia de 70 anos; relógios em Fibratech, a mais recente inovação do Laboratório di Idee, um relógio com Goldtech, um material exclusivo também aperfeiçoado pela Panerai; um relógio desenvolvido para a experiência com o explorador Mike Horn, o modelo Luna Rossa… 2020 é o ano do Luminor. O Luminor é o produto histórico da marca e eu diria que este ano destacamos toda a colecção.

Como é que a Panerai aborda a sua responsabilidade social? Pode explicar o programa Panerai Ecológico?

Panerai  Ecológico é uma iniciativa que pretende tornar o nosso mundo melhor. Uma das primeiras medidas foi o desenvolvimento de produtos com elementos reciclados integrados. Já produzimos correias de relógio com PET reciclado (garrafas), e estojos também feitos a partir de materiais reciclados. O nosso objectivo é ser a primeira marca a ter 100% de um relógio feito a partir de componentes reciclados – incluindo o movimento. No entanto, a sustentabilidade não se trata apenas de produtos. A Panerai iniciou a construção de um caminho para a sustentabilidade e responsabilidade social corporativa, há alguns anos, começando pelas certificações necessárias para melhorar a qualidade e design característico da marca, bem como as garantias relacionadas com a origem das matérias-primas e o seu impacto no ambiente. O projecto mais ambicioso em termos de eco-sustentabilidade e eco-compatibilidade tem sido o projecto da manufactura, para onde foram transferidas todas as actividades relacionadas com o desenvolvimento, produção e montagem dos movimentos e relógios.  Além disso, a sua  construção tem um impacto ambiental nulo no que diz respeito à produção de dióxido de carbono, graças à integração de uma série de tecnologias destinadas a recuperar e reciclar recursos, dispositivos de redução de emissões, electricidade a partir de fontes totalmente renováveis e políticas de promoção da mobilidade eco-sustentável entre os trabalhadores.

Como definiria a Panerai para alguém que acabou de descobrir a marca?

A Maison representa um relógio desportivo técnico exclusivo feito de design italiano inconfundível, bem como conteúdo mecânico e inovação criativa intimamente associada ao mundo do mar. As suas origens italianas combinadas com a produção suíça são únicas na indústria relojoeira.

E qual é a sua recomendação pessoal para aquela pessoa que quer o ADN Panerai numa referência acessível?

O Luminor Marina PAM 1312 com certeza. É o relógio que identifica a marca Panerai com a sua reconhecida caixa em forma de almofada.

Descubra todas as novidades Panerai 2020 aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.