A Louis Vuitton e a editora francesa Gallimard apresentam a obra The Trunk, uma antologia de contos escritos por 11 escritores franceses e inspirados nos arquivos de Gaston-Louis Vuitton sobre histórias de baús, bagagem e viagens.

Durante mais de um século, a casa da família Louis Vuitton em Asnières encheu-se de histórias extraordinárias contadas em surdina sobre baús, bagagem e viagens. No início do século XX, Gaston-Louis Vuitton, o terceiro na linha de geração Vuitton a contribuir para a reputação do famoso maleiro, e um coleccionador apaixonado, constituiu arquivos fabulosos. Com a sua morte, o baú fechou-se.

David Foenkinos
David Foenkinos

Quarenta anos mais tarde, foi concedido a 11 escritores franceses o privilégio de aceder a este tesouro. Exploraram fotografias antigas, recortes de jornais, anedotas e exemplos das mais extravagantes relações com os clientes. Surgiu desta forma  o elogio do baú e das suas viagens por alguns dos principais escritores franceses do nosso tempo.

Estes afortunados viajantes no tempo são: Éliette Abécassis, Fabienne Berthaud, Marie Darrieussecq, Virginie Despentes, Nicolas d’Estienne d’Orves, Patrick Eudeline, David Foenkinos, Philippe Jaenada, Yann Moix,Véronique Ovaldé e Bruno de Stabenrath.    

Eliette Abecassis
Eliette Abecassis

Gaston-Louis Vuitton tinha uma paixão secreta. Perscrutava a imprensa nacional e internacional em busca de artigos que versassem sobre o objecto da sua obsessão: o baú. Durante décadas, estes recortes permaneceram imóveis dentro de um baú.

Os blocos de notas da época estão preenchidos pela caligrafia reconhecível de Gaston-Louis Vuitton, com o registo meticuloso dos nomes do jornais e da data de publicação. Organizou-os por tema. Todos os baús perdidos estão num lugar, os baús manchados de sangue noutro. Casos relacionados com sexo, espionagem, princesas, hotéis de luxo, comboios a vapor e outros …

Bruno de Stabenrath
Bruno de Stabenrath

Para esta edição especial, a Louis Vuitton abriu o baú de memórias dos maiores escritores franceses vivos, cujos interesses eram muito variados: das viagens ao crime, da magia às invenções. Sensíveis ao charme antiquado da Belle Époque e ao glamour do pós-guerra, bem como às mais recentes crónicas da vida em sociedade (uma vez que existe um departamento especial que continua a tradição poética de recolha de artigos sobre baús, bem como de cartas privadas com relatos inusitados e formulários de encomenda dignos de nota), estes escritores conduzem-nos numa viagem através dos tempos e da imaginação.

Veronique Ovalde
Veronique Ovalde

Um a um, estes autores foram tomar um chá na casa da família em Asnières antes de seres conduzidos a uma pequena sala onde Gaston-Louis trabalhava. Aí, à luz do mesmo pequeno candeeiro que iluminava a secretária onde estas relíquias do passado permanecem, puderam mergulhar no mundo de pele e madeira, papel amarelecido e fotografias antigas desbotadas onde podemos ver Ernest Hemingway, Sacha Guitry ou a Mona Lisa, cujas aventuras agora esquecidas formaram as parangonas ou foram incluídas nas páginas de jornais que há muito desapareceram.

Estes autores trouxeram-nos de volta à vida. Cada história começa dentro de um baú antes de se transformar numa viagem literária.

Nicolas d'Estienne d'Orves
Nicolas d’Estienne d’Orves

Publicado por Les Éditions Gallimard no âmbito da colecção “Hors série Littérature”, este livro em edição de luxo ilustrada estará disponível nas lojas Louis Vuitton em inglês, francês e japonês.

Esta edição de coleccionador é impressa em papel velino de 110g e encadernada em pele na mais pura tradição dos Ateliers Babouot em Lagny-sur-Marne.

A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.