500 Anos da Circum-Navegação

Longines

646

A Longines celebra o 500.º aniversário da primeira circum-navegação da Terra com um relógio de edição numerada e limitada a 100 peças, exclusivo para Portugal.

O português Fernão de Magalhães ficou para a história como o primeiro navegador a circum-navegar a Terra e a provar que ela era redonda. Esta bem sucedida viagem (1519 – 1522) não foi apenas um feito marítimo, mas também um meio para aproximar pessoas e culturas.

Hoje, 500 anos depois da primeira circum-navegação, a Longines homenageia este feito com um relógio numerado e limitado, exclusivo para o mercado português. Equipado com um movimento automático L688, o Longines Master Collection – 500 Anos da Circum-Navegação destaca-se pela decoração no verso da caixa – que exibe a Nau Victoria – e pela inclusão do desenho de uma bussola no mostrador.

Fernão de Magalhães e a circum-navegação

Fernão de Magalhães (1480-1521) foi um navegador português, nascido em Trás-os-Montes, no dia 3 de Fevereiro de 1480. Com 25 anos de idade, alistou-se como voluntário para participar na viagem às Índias Orientais, região que abrangia a China, Japão, Índia, Arábia e Pérsia, acompanhando o primeiro vice-rei português do Leste. Ao serviço da coroa portuguesa, o navegador fez ainda parte de expedições a Quíloa, Sumatra e Malaca e, entre 1513 e 1514, fez parte da luta contra Azamor, durante a conquista de Marrocos.

 

Acusado de negociar com os mouros, Fernão de Magalhães perdeu o prestígio junto do rei D. Manuel e ficou impedido de continuar a trabalhar em Portugal. O navegador português ofereceu-se então para prestar serviço ao rei Carlos V de Espanha. Fernão de Magalhães conseguiu expor os seus planos de atingir as Índias Orientais, viajando pelo Ocidente e, com a ajuda do astrónomo português, também exilado, Rui Faleiro, elaborou o projecto da viagem.

No dia 22 de Março de 1518, Magalhães e Faleiro assinam um compromisso com D. Carlos V, pelo qual proclamariam espanholas todas as terras que encontrassem no curso da navegação pelo ocidente. A armada era composta de cinco embarcações, “Vitória”, “Santiago”, “Conceição”, “Santo António” e a nau “Trindad”, com tripulação, provisões e armas para dois anos.

Fernão de Magalhães e a sua esquadra partiram de Sanlúcar no dia 20 de Setembro de 1519. No dia 29 de Novembro chegam próximo ao Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco. No dia 13 de Dezembro entram na baía do Rio de Janeiro, para buscar suprimentos e reparar as embarcações e a 10 de Janeiro de 1520 chegam a um rio baptizado de Rio da Prata.

Em finais de Maio, a nau “Santiago” naufraga, alguns marinheiros conseguem salvar-se e, a 24 de Agosto, a frota reinicia a viagem. No dia 21 de Outubro encontram o “Cabo das Onze Mil Virgens”, uma passagem que os levaria ao outro lado do oceano. A travessia deste estreito (baptizado de Todos os Santos e, hoje, Estreito de Magalhães) começa a 1 de Novembro e termina 27 dias depois, quando chegam ao oceano a que chamaram Pacífico, devido às águas calmas.

A 16 de Março de 1521, a armada de Magalhães chega às Filipinas e, a 27 de Abril, ao desembarcarem em Mactán, Fernão de Magalhães é atingido por uma flecha e morre na praia. O que resta da armada prosseguiu viagem sob o comando de Juan Sebastián Elcano. Finalmente, a 21 de Dezembro, as duas naus restantes, “Trinidad” e “Vitória”, chegam ao destino: as ilhas Molucas. Na viagem de regresso, contornam o Cabo da Boa Esperança e chega, ao porto de Sanlúcar a 7 de Setembro de 1522.

Embora Fernão de Magalhães não tenha chegado pessoalmente às ilhas Molucas, foi graças ao seu plano de atingir as Índias Orientais, viajando pelo Ocidente, que se concretizou a primeira circum-navegação da Terra e se demonstrou que esta era, de facto, redonda.

CARACTERÍSTICAS

Fundo com decoração especial

Movimento: Automático, calibre L688, cronógrafo com roda de colunas, 28.800 alt/h, 54 horas de reserva de marcha
Caixa: Aço, 42 mm, fundo decorado com Nau de Fernão de Magalhães
Mostrador: Bege, desenho de uma bussola, detalhes vermelhos e pretos, indicação de horas, minutos, pequenos segundos, cronógrafo e data
Bracelete: Pele castanha
Edição limitada: 100 peças
Preço: 2.990€

A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.