Nestes relógios, os metais nobres perdem terreno para materiais directamente importados da Fórmula 1 ou da indústria aeronáutica. Tudo em nome da resistência.

Richard Mille

RM011

Reconhecida pela utilização de materiais exóticos, a Richard Mille apresenta o cronógrafo flyback RM 011 com componentes em nitreto de silício castanho, um material nunca antes utilizado na relojoaria. Usado na Fórmula 1 para válvulas, rotores e outros componentes, o nitreto de silício oferece uma óptima relação força/peso e é um material não poroso e resistente a mudanças de temperatura extremas.

Neste modelo, o nitreto de silício é usado no fundo da caixa e na luneta e complementado com pormenores em ouro rosa e titânio.


 

Hublot

Big Bang Italia Independent

O novo Big Bang Italia Independent, limitado a 500 peças em ganga azul ou cinzenta, está equipado com uma caixa de 45 mm num novo material exclusivo da Hublot, Texalium.

Com uma aparência semelhante à da fibra de carbono, este material possui um brilho ligeiramente diferente, produto do revestimento de alumínio na caixa de fibra de carbono. O novo relógio exibe um mostrador esqueletizado que permite visualizar o calibre HUB 1242 Único com tratamento PVD cinzento e 72 horas de reserva de marcha.


 

 

Bulgari

Diagono Magnesium

O novo Bulgari destaca-se pela inclusão de materiais inovadores na sua concepção. O magnésio, duradouro e muito leve, é o material da caixa, enquanto a cerâmica veste a luneta.

Este Diagono também emprega PEEK, um polímero utilizado na indústria aeroespacial devido à sua temperatura e resistência estrutural, e Motor-Lac no mostrador, um revestimento usado para proteger componentes do motor dos automóveis. Lá dentro, bate um movimento automático.

A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.