A Lua e mais além…

Speedmaster e o Espaço

136

Televisionado em directo para 33 países, incluindo Portugal, e visto ao vivo por mais de um milhão de pessoas, que se juntou, a 16 de Julho de 1969, no Kennedy Space Center, o lançamento do foguetão Saturno V, com a sua nave Apollo 11, foi o início da primeira viagem tripulada à Lua. A bordo, os astronautas Neil Armstrong, Michael Collins e Edwin “Buzz” Aldrin estavam oficialmente equipados com relógios de pulso Omega Speedmaster, cronógrafos de carga manual.

A viagem foi um êxito. Cinco dias depois, a 21 de Julho (já dia 22 em Lisboa), Neil Armstrong pisou solo lunar e a Humanidade deu um passo de gigante. Uma das edições do Omega Speedmaster comemorativas do meio século da ida à Lua é a Apollo 11 50th Anniversary Limited Edition, de que se vão produzir apenas 6.969 relógios.

Seguindo na senda do pioneirismo que norteia a Omega, um material especial, o ouro Moonshine™, de 18k, aparece na peça. Esta liga exclusiva da marca, em processo de ser patenteada, tem uma cor ligeiramente mais pálida que o ouro amarelo, oferecendo mais resistência à passagem do tempo.

 

A caixa, de 42mm, de aço, tem luneta de cerâmica negra polida, tem um aro de ouro Moonshine™ e inserções de Ceragold™ (outro material exclusivo da Omega) na escala taquimétrica. Já o mostrador possui duas zonas distintas: no centro, superfície cinzenta envernizada, e minuteria negra. Os índices são de ouro Moonshine™, enquanto o logótipo da Omega e os ponteiros têm aspecto vintage. Apenas o ponteiro central dos segundos do cronógrafo é revestido a PVD ouro Moonshine™.

Armstrong tinha-se esquecido do seu Omega a bordo do módulo lunar. Mas o seu companheiro Buzz Aldrin usava um no pulso quando desceu as escadas do Eagle, precisamente às 03:15:16 UTC, tocando também ele solo lunar. E o Omega foi o primeiro – e até hoje, único – relógio a ter estado na Lua. Tendo mesmo lá voltado em todas as alunagens que se seguiram. Isso incluiu as missões Apollo 12, Apollo 14, Apollo 15, Apollo 16 e Apollo 17. Até hoje, apenas 12 homens pisaram solo lunar, todos eles com um Speedmaster no braço, no exterior do fato espacial.

Fernando Correia de Oliveira
Fernando Correia de Oliveira (Lisboa, 1954), é jornalista e investigador do Tempo. Licenciado em Direito, esteve 20 anos como quadro da Agência Noticiosa Portuguesa, saindo como Director-Adjunto de Informação para ser o primeiro correspondente da Lusa em Pequim, onde viveu entre 1988 e 1990. Ingressou no PÚBLICO, onde foi Editor de Sociedade e especialista em Política Internacional na zona da Ásia-Pacífico (China, Japão, Coreia) entre 1993 e 2002. Desde esse ano é jornalista freelance, especializado em Tempo e Relojoaria, uma das suas paixões de sempre. Editor-Chefe do Anuário Relógios & Canetas, nas suas edições em papel e online, mantém o blog Estação Cronográfica (o mais importante do seu género em língua portuguesa, com mais de 40 mil visitas mensais). Colabora com muitos outros títulos especializados da área da Relojoaria, em Portugal, Espanha, Brasil, México ou Coreia do Sul. Membro de várias organizações internacionais dedicadas ao estudo do Tempo e de vários júris estrangeiros envolvidos na escolha dos Relógios do Ano, é consultor do Governo Português na área do Património Relojoeiro. Tem um vasto conjunto de obras publicadas sobre a temática – nomeadamente História do Tempo em Portugal ou Dicionário de Relojoaria.