O calibre Co-Axial foi um dos maiores sucessos da Omega dos últimos anos.

Em 2014, a manufactura suíça apresenta uma nova geração de movimentos co-axiais, denominada Master Co-Axial e que se distingue do seu predecessor pela capacidade em resistir a campos magnéticos superiores a 15.000 gauss.

master_co-axial_8500_2

O primeiro passo importante no sentido de criar um movimento antimagnético começou em 2008, com o lançamento da espiral em silício Si14, mas foi apenas no ano passado que a Omega criou o primeiro movimento antimagnético da história da relojoaria capaz de suportar campos magnéticos superiores a 15.000 gauss, ao apresentar o calibre co-axial 8508. E é precisamente este calibre que está na base do novo Master Co-Axial.

modified_components_in_the_master_co-axial_calibre

Ao contrário de outros esforços para combater os efeitos do magnetismo, o novo calibre Omega não depende de uma caixa protectora dentro da caixa do relógio, mas da utilização de materiais não-férreos seleccionados no próprio movimento.

master_co-axial_4

Assim, os bastões e pivôs são feitos de Nivagauss™; as platinas em aço encontradas no movimento Co-Axial foram substituídas por platinas não magnéticas; e a espiral do absorvedor de choques foi produzida num material amorfo, além da espiral do balanço em silício.

master_co-axial_5

A introdução do Master Co-Axial marca assim um avanço importante em termos de robustez e fiabilidade do movimento mecânico principal da Omega e, nos próximos anos, este calibre deverá ser a base de todos os movimentos de manufactura da marca.

A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.