Puro prazer: o EQC 4Matic

Mobilidade Eléctrica Teste

17

A Turbilhão quis descobrir qual é a experiência de quem decide comprar um veículo eléctrico. Testámos o Mercedes-Benz EQC 4Matic em viagens curtas e longas em condições da vida real adequadas a uma utilização quotidiana. Uma experiência de condução que agora partilhamos.

No estilo típico da Mercedes, o SUV de luxo compacto totalmente eléctrico combina virtudes, como reservas de energia impressionantes (300 kW / 408 hp), conforto e inteligência holística que tornam a vida mais fácil para os condutores, da navegação optimizada à gestão de carga. A rede inteligente de serviços e funções simplifica consideravelmente a utilização do veículo. No decorrer das nossas viagens, totalizando 1.300 km de percurso, os vidros acústicos padrão garantiram silêncio: nenhum barulho de pneus a rodar ou do vento perturbaram a viagem. Impressionante, mesmo para um carro eléctrico. Destaque ainda para a tracção às quatro rodas que garante controlo superior mesmo nas curvas rápidas da alemã B500, a “Estrada da Floresta Negra”.

O EQC evita a desordem desnecessária em favor de uma silhueta limpa e aerodinâmica com uma frente ampla
EQC 400 4MATIC; designo selenite grey magno; AMG Line; ARTICO man-made leather / DINAMICA microfiber black;EQC: Combined electric energy consumption: 20.8 – 19.7 kWh/100 km; combined CO2 emissions: 0 g/km*; *Electric energy consumption and range have been determined on the basis of Regulation (EC) No. 692/2008. Electric energy consumption and range depend on the vehicle configuration.

Devido ao espaço requerido pela bateria e 2 motores eléctricos assíncronos, o e-Daimler com um volume de bagageira de pouco mais de 500 litros está no fim da lista da sua classe em termos de espaço. Já em termos de distância, a bateria de 80 kWh do EQC forneceu um alcance respeitável de em média 405 km, durante um período de 10 dias, ao longo de uma mistura de auto-estradas, estradas rurais e condução urbana.

O sistema de info-entretenimento digital controlado por voz MBUX (Mercedes-Benz User Experience) é fornecido de série, comunicando-se através de dois monitores de cockpit ou através da app Mercedes me.

Ainda mais relevante: com um consumo de energia medido ao longo do teste de 20,8 kWh / 100 km, o primeiro carro totalmente eléctrico que a Daimler lançou está entre os melhores da sua classe. Com alguma sorte encontrando o carregamento DC rápido, a recarga do EV de 30 a 90% é feito em 30 minutos (reabastecer ao mesmo nível através de uma tomada ou carregamento público AC levou 4 horas e 30 minutos.) Satisfeitos com a razão, experimentámos uma velocidade máxima de 180 km/h e uma aceleração dos 0 aos 100 km / h nuns respeitáveis 5,1 segundos.

Obviamente, para a categoria de preço, os recursos mostram uma estética futurista que coloca este EV firmemente no século XXI. Disponibiliza o sistema de info-entretenimento totalmente digital e controlado por voz da marca MBUX (Mercedes-Benz User Experience), que se comunica através de dois monitores ou através da aplicação Mercedes me.

 

Planeamento ideal – condução segura

Planeámos as nossas rotas do escritório para o destino, inserimos o horário de saída e colocámos o interior à temperatura desejada a partir do smartphone. Recebendo uma rota planeada de forma inteligente, incluindo paragens necessárias para carregamento e uma hora de chegada – estamos prontos e melhor preparados para seguir viagem… Em termos de sistemas de assistência à condução, o Stromer ganha pontos com interacção de primeira classe. Os três modos de condução, “Eco”, “Conforto” e “Desportivo”, diferem significativamente. Claro, gostamos mais do programa de condução dinâmica, mas o EQC é muito mais contido em Eco. Ainda temperamental o suficiente para a cidade e bom para a serra.

Smartcar encontra Smartphone: Controle as funções do veículo remotamente com a app Mercedes me. Foto: Daimler AG

Se as baterias estão lentamente a ficar sem carga, o modo de condução “Max Range” é a solução. Juntamente com o sistema de navegação, o sistema calcula a rota ideal para a próxima estação de carregamento com base no curso da rota, o fluxo de tráfego, e ajuda o autor a alcançá-la ao toque, pois um ponto claro de pressão no pedal do acelerador marca a velocidade a que podemos conduzir sem correr riscos. O EQC também domina a desaceleração com economia de combustível – permitindo que o carro aproveite ao máximo a tracção residual sem consumir mais energia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.