Back to Basics

18

Após anos de excesso e euforia, a ordem é para abrandar, apreciar, regressar às origens. Uma tendência que não se limita à indústria relojoeira, mas que se estende a todos os mercados, numa época em que se procura a legitimidade, não apenas estética e técnica, mas também ambiental, histórica e cultural. O desejo de excesso acabou, dando lugar a um regresso à simplicidade.

Nos últimos anos, um pouco por todos os mercados, temos vindo a assistir a uma espécie de regresso às origens. Uma tendência forte que tem levado os consumidores a procurar produtos e experiências autênticos e diferenciados que lhes permitam expressar a sua individualidade, reavaliando os hábitos de consumo, passando do materialismo aberto à simplicidade, autenticidade e individualidade e começando a valorizar mais a qualidade e ofertas únicas.

De acordo com o relatório da Euromonitor International para os hábitos de consumo em 2019, os consumidores irão favorecer produtos posicionados como simplificados, de volta ao básico e de melhor qualidade. Desde o desejo por viagens autênticas, como uma alternativa às férias organizadas, com foco no local e na autenticidade, bem como no Ecoturismo, a bebidas de fabrico artesanal, passando por produtos alimentares biológicos, esta mudança nos valores dos consumidores favorece um regresso às origens e simplicidade em praticamente todos os sectores da sociedade.

E a Alta Relojoaria não fica imune a esta tendência. Depois de anos de excesso e euforia, testemunhamos um regresso a uma maior moderação, tanto em termos técnicos como estéticos. Longe vão os dias em que nas montras pululavam relógios enormes, com designs vanguardistas e repletos de complicações, cujas indicações se sobrepunham, dificultando sobremaneira a legibilidade da passagem do tempo. Queremos com isto dizer que as complicações morreram e que, agora, teremos apenas modelos com horas, minutos e segundos? Claro que não. Os relógios com complicações continuam e continuarão a existir. A forma como estas são exibidas é que tem vindo a sofrer alterações, sendo muito mais sóbria e clean.

COMPARTILHAR
Directora/Editor in Chief | Revista Turbilhão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here