Não é todos os dias que uma marca global se inspira numa figura portuguesa para lançar novos produtos. A Montblanc, reconhecida em todo o mundo, escolheu 2015 para criar uma nova colecção de Alta Relojoaria, a que associou o nome de Vasco da Gama. A descoberta continua…

Quando o navegador português Vasco da Gama partiu de Lisboa, a 8 de Julho de 1497, ele sabia que iria aventurar-se na exploração de uma parte desconhecida do globo, na busca de um caminho marítimo desde a Europa até à Índia. O objectivo era o acesso às especiarias e outras mercadorias de luxo do oriente, sem passar pelos intermediários árabes, persas, turcos ou venezianos. Sem cartas que o orientassem, Vasca da Gama dependia unicamente da sua experiência e arte de navegar. Com precisão e tendo como auxílio o céu e as suas estrelas, nomeadamente o Cruzeiro do Sul.

2d3adfa8352a656a606912bf6acf7119_XLInspirada nesta figura – cuja viagem ajudou decisivamente à globalização do comércio mundial – a Montblanc lançou recentemente na Cidade do Cabo a sua nova colecção Heritage Chronométrie. Os relógios que a ela pertencem mostram tradição relojoeira – muito através da manufactura Minerva, com mais de 150 anos de história, e que desde há anos pertence ao universo Montblanc. Mas também demonstram modernidade – o departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Montblanc acaba de mudar-se de Le Locle para Villeret, sede histórica Minerva. “Com novos calibres, fabricados in house, e com complicações relojoeiras inéditas, a colecção Heritage Chronométrie reforça a nossa legitimidade relojoeira”, diz-nos o Presidente da Montblanc, Jerôme Lambert.

Vasco da Gama partiu de Lisboa a 8 de Julho de 1497, à frente de uma pequena armada de quatro navios: a nau São Gabriel, a nau São Rafael, a caravela Bérrio e, finalmente, a nau dos mantimentos, sem nome próprio. Nas quatro embarcações seguiriam um total de 148 a 170 pessoas.

A viagem de Vasco da Gama à Índia é o tema da maior obra em língua portuguesa, o poema epopeico d’Os Lusíadas, de Luís Vaz de Camões. A homenagem da Montblanc ao Gama e, com ele, aos navegadores portugueses em geral, visa sublinhar os fracos meios de navegação de que dispunham – sendo o sextante, para determinar a latitude, o mais importante deles, e o nocturlábio um rudimentar processo de ler os céus. Mas numa altura em que a longitude ainda era impossível de determinar com precisão.

montblanc-tourbillon-cylindrique-geosphere-vasco-da-gama-9No hemisfério sul, Vasco da Gama e os outros navegadores usaram o Cruzeiro do Sul como ponto de orientação, aquilo que a estrela polar desempenhava no hemisfério norte. O Cruzeiro do Sul é uma constelação, ou conjunto de estrelas, em forma de cruz avistada pela primeira vez em 1455, na costa da África. Com o início da expansão marítima no Hemisfério Sul, essa constelação tornar-se-ia tão importante como a Estrela do Norte para a orientação dos navios. O céu nocturno do Hemisfério Sul e o Cruzeiro do Sul estão presentes na estética de algumas das peças da nova colecção. “O sucesso da expedição de Vasco da Gama deve ser, em última análise, creditada à sua coragem, determinação, vontade de correr riscos mas, acima de tudo, à sua obsessão com a precisão”, diz-nos Jerôme Lambert.

A armada chegou a 4 de Novembro de 1497 à Baía de Santa Helena, na costa sudoeste de África. Vários dias depois, os navios portugueses fizeram um largo arco à volta do Cabo da Boa Esperança, ancorando a 25 de Novembro em Mosselbaai. Vasco da Gama chegou a Calicute, na costa indiana do Malabar, a 20 de Maio de 1498. Pela primeira vez, era feito, a partir da Europa, o caminho marítimo para a Índia, à volta do sul de África. O mundo estava globalizado.

 

Turbilhão Cilíndrico Geosphères Vasco da Gama

Montblanc-Tourbillon-Cylindrique-Geospheres-Vasco-da-Gama-frontA colecção

Todos os relógios da Heritage Chronométrie obedecem à tradição de complicação relojoeira da manufactura Minerva, adquirida há anos pela Montblanc e hoje totalmente integrada na cadeia de produção da marca. Além disso, as peças Heritage Chronométrie são submetidas a um teste de qualidade de 500 horas, obtendo cada uma um certificado individual. Além disso, todos os relógios desta colecção estão equipados com pulseiras de pele produzidas pela Montblanc Pelleteria, a unidade de produção que a marca mantém em Florença, Itália. Além das peças para o mercado mundial, a Montblanc Portugal lançará, já em 2015, edições limitadas especialmente destinadas ao mercado nacional.

O Montblanc Heritage Chronométrie ExoTurbilhão Cronógrafo Minuto vem equipado com um calibre da manufactura (MB R2309), automático, com um exo-turbilhão com paragem de segundos patenteado. Há ainda uma edição limitada deste modelo, com 60 exemplares, o Montblanc Heritage Chronométrie Exo-Turbilhão Cronógrafo Minuto Vasco Da Gama, equipado com um calibre da manufactura (MB R230), automático, com duplo tambor de corda. A caixa, de ouro branco, tem gravada, no verso, a nau São Gabriel.

Montblanc-Villeret-Tourbillon-Cylindrique-Geospheres-Geosphères-Vasco-Da-Gama-explosion-Perpetuelle-620x990O Montblanc Heritage Chronométrie ExoTurbilhão Cronógrafo Vasco da Gama Edição Limitada 60 é um cronógrafo automático, monobotão, calibre da manufactura (MBR230). Inclui turbilhão de um minuto, com a roda de balanço fora da gaiola (daí o nome “exo”), com sistema de paragem dos segundos. Mostrador de aventurina, representando o céu nocturno no Hemisfério Sul. Caixa de 44 mm, de ouro branco. Edição limitada a 60 exemplares, numa referência à tripulação de 60 homens da nau São Gabriel.

O Montblanc Heritage Chronométrie Calendário Anual Vasco da Gama tem calibre da manufactura (MB 29.18), automático. Trata-se de um calendário anual com fases de lua. A caixa é de 40 mm, de ouro vermelho, com vidro de safira na frente e no verso, onde está gravado o São Gabriel e a assinatura de Vasco da Gama. É certificado pelo Montblanc Laboratory Test 500 e trata-se de uma edição limitada de 238 exemplares.

O Montblanc Heritage Chronométrie Calendário Completo Vasco da Gama tem calibre da manufactura (MB 29.16), automático. É um calendário completo e fases de lua. Tem caixa de 40 mm, de aço, e a nau São Gabriel e a assinatura de Gama gravadas no verso. A Lua está sob fundo azul, com o céu a mostrar o Cruzeiro do Sul.

Montblanc-Tourbillon-Cylindrique-Geospheres-Vasco-da-Gama-Back-black-111675Finalmente, a pièce de résistance da homenagem ao navegador português insere-se na colecção Villeret. Trata-se do Turbilhão Cilíndrico Geosphères Vasco da Gama, uma peça que alia um turbilhão cilíndrico a uma indicação de três horas em locais distintos. Limitada a 18 exemplares, esta peça convida a uma exploração pelo mostrador tridimensional, emoldurado por uma caixa de 47 mm em ouro rosa.

PARTILHAR
A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.