Mais de 140 anos depois da construção da manufactura original, por F.A. Jones, a IWC inaugura uma nova fábrica nos arredores de Schaffhausen. Com mais de oito mil metros quadrados, o Manufakturzentrum é o novo centro de produção da marca e surpreende pelo espaço, arquitectura e design.

“Encurralada” entre o Reno e a zona histórica de Schaffhausen desde 1874, a sede da IWC apresentava opções muito limitadas de crescimento que pudessem acompanhar os desenvolvimentos da marca nas últimas décadas. Tanto assim é que, nos últimos anos, a manufactura viu-se obrigada a alugar um espaço industrial nas proximidades de Neuhausen para usar como local de produção de caixas de relógios.

CEO da IWC, Christoph Grainger-Herr

Para solucionar esta questão, a IWC optou pela construção de raiz de um novo centro de produção. Os trabalhos ficaram a cargo de duas empresas de arquitectura – ATP Architects e RMA Architects – e o próprio CEO da IWC, Christoph Grainger-Herr, arquitecto de formação, assumiu o papel de designer líder do projecto, desenvolvendo desde o conceito estético básico do edifício, até aos acabamentos individuais em vários espaços.

Concluído em apenas 21 meses, o Manufakturzentrum nasceu nos arredores de Schaffhausen. O novo espaço da marca concentra agora a produção de componentes de movimentos, montagem de movimentos, produção e montagem de caixas, controle de qualidade e engenharia de equipamentos, além de ser usado como centro de logística, centro de TI e infraestrutura. O antigo edifício mantém-se como sede da IWC e concentra os serviços administrativos, a montagem dos relógios e os testes finais.

 

Manufakturzentrum

À semelhança do ADN da IWC, o novo Manufakturzentrum é uma mistura de luxo e engenharia de precisão. À chegada, o edifício, com 139 metros de comprimento e 62 metros de largura, destaca-se na paisagem verdejante. De linhas modernas e sóbrias, com uma imponente fachada de vidro com mais de 2000 m2, o Manufakturzentrum impressiona pelo tamanho, arquitectura e design.

Passadas as escadarias que conduzem à entrada do edifício, somos conduzidos pelo mesmo sentimento de imponência, sobriedade e modernidade. Com um pé direito de 9 metros, o átrio alberga a recepção e surpreende pela presença de um gigantesco mecanismo de calendário perpétuo. Num hino à história da IWC somos ainda recebidos pelas fotografias dos principais personagens intervenientes no percurso da marca, penduradas numa das paredes.

Texto deMarina Oliveira, em Shaffhausen
PARTILHAR
Directora/Editor in Chief | Revista Turbilhão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here