Com o lançamento do calendário perpétuo automático mais fino do mundo e a celebração dos 25 anos do Royal Oak Offshore, a Audemars Piguet inicia 2018 com inúmeras novidades à vista.

O novo Royal Oak RD#2, cujo desenvolvimento levou cinco anos, é o calendário perpétuo automático mais fino do mundo, com apenas 6,30 mm de espessura. Para este feito, a Audemars Piguet reduziu um movimento de três camadas a uma única, através da combinação de várias funções num só mecanismo. A marca conseguiu ainda diminuir o rotor até aos 2,89 mm.

Tudo o resto, do mostrador tapisserie às fases da Lua às 12h (uma inspiração directa do primeiro calendário perpétuo de pulso da Maison, em 1955), é Royal Oak puro e clássico.

Royal Oak Offshore

Para celebrar o 25.º aniversário da linha Royal Oak Offshore, a Audemars Piguet apresenta uma reedição do modelo de 1993. O novo relógio mantém-se fiel ao original, com caixa em aço, botões e coroa em borracha azul, mostrador azul com padrão “petite tapisserie” e bracelete em aço com fecho de báscula. As actualizações acontecem, sobretudo, no coração do novo Royal Oak Offshore, cujo calibre automático 3126/3840 incorpora 25 anos de melhorias relojoeiras.

Royal Oak Offshore Turbilhão Cronógrafo

Num piscar de olhos ao futuro e ainda na senda do aniversário, a Audemars Piguet apresenta dois novos Royal Oak Offshore Turbilhão Cronógrafo: um em aço e outro em ouro rosa, ambos limitados a 50 peças cada.

A caixa de 45 mm – uma novidade na colecção – empresta um look robusto a estes relógios que apresentam um novo design técnico do movimento. Utilizado anteriormente nos Turbilhões Cronógrafo Offshore, o movimento foi totalmente re-imaginado para a ocasião. Com uma nova construção arquitectónica, com pontes em titânio e cantos chanfrados, o movimento parece estar suspenso da luneta.

PARTILHAR
A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.