sihh 2017

O ano relojoeiro já arrancou com a 27ª edição do Salão Internacional de Alta Relojoaria – SIHH 2017.

O evento, que em 2017 reuniu 30 das mais conceituadas marcas de Alta Relojoaria, abriu as suas portas em Genebra de 16 a 20 de Janeiro para apresentar as últimas criações do sector. Descubra com a Turbilhão, algumas das novidades apresentadas.


 

1. Audemars Piguet

Em 2017, a colecção Royal Oak da Audemars Piguet recebe novos modelos para pulsos masculinos e femininos. Para eles, destaque para o novo Royal Oak Calendário Perpétuo que, este ano, se veste integralmente de preto com caixa e bracelete em cerâmica preta, mostrador ardósia e contadores pretos.

Já o Royal Oak Cronógrafo, no ano em que celebra o 20.º aniversário, faz o elogio da cor ao apresentar mostradores bicolores, tendência seguida pela linha Offshore que agora recebe os modelos Royal Oak Offshore Diver Funky Colours, com caixa de 42 mm em aço.

Para pulsos femininos, destaque para o novo Royal Oak Frosted Gold, desenhado em parceria com Carolina Bucci e que se apresenta em ouro “martelado”, graças a uma técnica joalheira ancestral, o que empresta ao relógio uma aparência brilhante. Outro dos modelos que brilha na colecção feminina, mas desta feita graças à presença de diamantes, é o Royal Oak Quartzo, uma peça feminina de 33 mm, disponível em ouro rosa ou branco, e cujo engaste das pedras preciosas lembra a neve a cair.

Ainda no universo dos relógios de senhora, a Audemars Piguet apresenta o Diamond Outrage, o terceiro e último da trilogia de peças do tempo de alta joalharia, uma peça que se destaca pelo design inusitado e pelo engaste integral de pedras preciosas em diversos tipos de lapidação.


 

2. Baume & Mercier

Em 2017, a Baume & Mercier aposta nos modelos desportivos e apresenta a colecção Clifton Club. Dedicada aos amantes do desporto, esta linha encerra relógios automáticos, com caixas de 42 mm em aço ou DLC e luneta unidireccional. Os novos Clifton Club estão disponíveis com três mostradores diferentes, três tipos de bracelete e são estanques até 1000 metros.

Inspirando-se no lendário Shelby Cobra Daytona Coupé, a Baume & Mercier expande a colecção Shelby® Cobra com dois cronógrafos de edição limitada, desenhados em conjunto com Peter Brock – responsável pelo design do mítico automóvel. O primeiro apresenta-se numa edição limitada a 196 exemplares, em homenagem ao recorde de velocidade alcançado em 1964 pelo Daytona em Le Mans. Alimentado por um movimento cronógrafo flyback, este modelo dispõe de uma caixa de 44 mm em titânio e aço e apresenta um mostrador nas cores do Shelby Cobra Daytona Coupé.

O segundo cronógrafo, apresenta-se numa edição limitada a 1964 peças, num tributo ao ano da primeira corrida oficial do Daytona Coupé. Ambos os modelos são entregues numa caixa preta e prateada que inclui um modelo à escala de 1:43, do famoso coupé Shelby Cobra Daytona.

Dentro da sua colecção mais clássica – My Classima – a Baume & Mercier disponibiliza em 2017 um modelo automático e outro de quartzo em aço, este último disponível em três tamanhos.

 


 

3. Cartier

Num regresso ao passado, a Cartier aposta num clássico dos anos oitenta: o modelo Panthère de Cartier. Disponível sobretudo em quartzo, a nova colecção apresenta-se em dois tamanhos e numa grande panóplia de materiais, incluindo peças de alta joalharia.

Lançado em 2016, o relógio masculino Drive de Cartier regressa em 2017 com dois novos modelos: um relógio de carga manual extraplano e um modelo com Fases da Lua. Ambos estão disponíveis em ouro rosa ou branco.

No que à alta relojoaria diz respeito, a Maison apresenta três novas peças: o Rotonde de Cartier Duplo Turbilhão Misterioso Repetição de Minutos; Rotonde de Cartier Horas Misteriosas Esqueleto e Panthère Joueuse. O primeiro destaca-se pela presença do duplo turbilhão voador misterioso, mas também pela possibilidade de observar os martelos da repetição de minutos em acção. Limitado a 50 peças em titânio, o Rotonde de Cartier Duplo Turbilhão Misterioso Repetição de Minutos é animado pelo calibre 9407 MC.

Rotonde de Cartier Duplo Turbilhão Misterioso Repetição de Minutos

Já o Rotonde de Cartier Horas Misteriosas Esqueleto destaca-se, além do mecanismo misterioso onde os ponteiros parecem flutuar sobre o mostrador, pelo trabalho de esqueletização que revela as partes do movimento, sem nunca desvendar o segredo por detrás das horas misteriosas. Este modelo está equipado com o calibre 9983 MC.

Rotonde de Cartier Horas Misteriosas Esqueleto

Dentro do bestiário da Maison, a Pantera é rainha. No novo Phanthère Joueuse, este animal brinca com o tempo, através de uma pata que indica as horas, enquanto uma bola joalheira percorre o mostrador, indicando os minutos.

Phanthère Joueuse

No campo dos Métiers d’Art, a Cartier adiciona um novo ofício ao seu vasto repertório. Trata-se do ouro “flameado”, uma técnica inspirada na forma como os ponteiros dos relógios são azulados através da exposição a uma chama. Com este oficio, a Cartier apresenta o Ronde Louis Cartier XL Flamed Gold, cujo mostrador exibe a imagem de uma pantera totalmente realizada através desta técnica.

Ronde Louis Cartier XL Flamed Gold

4. Greubel Forsey

Grand Sonnerie

Após 11 anos de desenvolvimento, a Greubel Forsey apresenta o Grand Sonnerie. Trata-se de um modelo composto por 935 componentes, alvo de duas patentes, com 11 funções de segurança e uma caixa de ressonância acústica em titânio, o mais esvaziada possível com o intuito de obtenção de ressonância máxima.

O novo modelo apresenta três modos de selecção – Grand Sonnerie, Petite Sonnerie e silencioso -, disponibilizando ainda a repetição de minutos a pedido com timbre catedral. No mostrador, bem como na lateral da caixa, é possível visualizar os martelos em acção. Com três tambores de corda, dois dedicados ao movimento e um afecto à Grand Sonnerie, este Greubel Forsey apresenta dois “motores” distintos: um de corda manual com 72 horas de reserva de marcha e dedicado ao movimento “normal” das horas, minutos e turbilhão de 24 segundos; outro automático com cerca de 20 horas de autonomia, reservado ao mecanismo de Grand Sonnerie.

Turbilhão 24 segundos Assimétrico Edição Histórica

Em 2017, a Greubel Forsey fecha a linha Turbilhão 24 Segundos Assimétrico com o lançamento da segunda edição histórica da marca. Nesta peça, a arquitectura do mostrador foi renovada. O Turbilhão 24 Segundos Edição Histórica estará disponível numa edição única de 11 exemplares em ouro rosa e 11 peças em platina.

Este ano, a manufactura revisita ainda o Turbilhão 24 Segundos Vision, com o lançamento de quatro mostradores diferentes para a versão em platina: salmão, chocolate, azul e antracite. Outro dos modelos que regressa em 2017 com um facelift é o Signature 1, o único relógio Greubel Forsey até à data que não possui um turbilhão. Depois das edições em ouro branco e ouro rosa do ano passado, o novo Signature 1 surge agora numa edição limitada a 11 peças em platina e 33 em aço.

 


5. HYT

H1 Air RC44

Em 2017, a HYT apresenta, pela primeira vez, uma colecção completa de peças de edição limitada ao mesmo tempo. Trata-se da linha H1 Air, um conjunto de relógios “clássicos” (no sentido em que, em estreia absoluta na marca, exibem apenas horas e minutos) que exploram novos territórios, como o universo marítimo ou da camuflagem. De entre os membros da nova colecção, o destaque vai para o H1 Air RC44, o primeiro modelo HYT criado como parte de uma parceria: desde 2015 a marca é cronometrista oficial da regata RC44.

Dos mares para os palcos, a HYT apresenta o Skull Axl Rose, um relógio personalizado pelo próprio vocalista dos Guns N’ Roses. Tendo optado pelo modelo Skull, Axl solicitou que o relógio possuísse um estilo aço damasco e recebesse um tratamento azul, cor que se repete em todos os índices. Para finalizar, o artista escolheu adicionar duas placas laterais, decoradas com padrão Clou de Paris e com acabamento em PVD azul. No fundo da caixa, o logótipo dos Guns N’ Roses ganha destaque. A peça está disponível numa edição limitada a 25 peças com caixa de 51 mm em titânio DLC.

Skull Axl Rose

Este ano, a HYT reinterpreta ainda o relógio de bolso com o lançamento do Skull Pocket. A nova peça alia a tecnologia fluídica assinatura da marca, uma fonte de luz de energia mecânica à relojoaria tradicional. Com uma nova caixa em titânio DLC, o novo modelo assemelha-se a um relógio de bolso, graças à tampa da caixa e à corrente que acompanha a peça. O HYT Skull Pocket está disponível numa edição limitada a apenas oito exemplares.

Skull Pocket

 

6. IWC

Da Vinci Automático Fases da Lua

A IWC dedica o ano de 2017 à colecção de relógios Da Vinci. A marca aposta também no universo feminino e apresenta dois modelos exclusivamente dedicados às senhoras: o Da Vinci Automático 36 e o Da Vinci Automático Fases da Lua 36. O primeiro está disponível em cinco declinações, com ou sem diamantes na luneta, todas com fecho borboleta e gravação da Flor da Vida no fundo da caixa. Já o segundo destaca-se pela inclusão da indicação de Fases da Lua às 6h e apresenta-se em três versões em ouro rosa ou aço, com ou sem diamantes.

O Da Vinci Automático 40 surge como uma opção unissexo e disponibiliza a complicação de data num modelo em aço com duas opções de mostradores.

Da Vinci Automático 40

Para pulsos masculinos, a IWC lança três novos modelos dentro da colecção Da Vinci: o Cronógrafo Edição Laureaus Sport for Good Foundation, o Cronógrafo Calendário Perpétuo e o Cronógrafo Turbilhão Retrógrado. O primeiro apresenta-se como um cronógrafo flyback de edição limitada a 1500 peças, movido pelo calibre automático 89361, enquanto o Da Vinci Cronógrafo Calendário Perpétuo se destaca pela indicação perpétua das fases da Lua, pelo movimento de manufactura 89630 com rotor em ouro vermelho, visível através do fundo transparente da caixa de 43 mm em aço ou ouro vermelho.

Finalmente, o Da Vinci Cronógrafo Turbilhão Retrógrado apresenta um cronógrafo flyback, turbilhão voador e data retrógrada. Tudo isto graças ao calibre de manufactura 89900, com 68 horas de reserva de marcha e rotor em ouro vermelho, visível através do fundo em vidro de safira da caixa de 44 mm em ouro vermelho.

Da Vinci Cronógrafo Turbilhão Retrógrado

 

7. MB&F

HM7 Aquapod

Em 2017, a MB&F surpreende com o lançamento do novo HM7 Aquapod. Trata-se de uma peça cujo design se inspira em nada mais, nada menos do que uma alforreca! Com um movimento de manufactura de arquitectura tridimensional inspirado num relógio de bolso “cebola”, o novo modelo possui um rotor, um tambor de corda, indicação de horas e minutos e um turbilhão voador, todos montados de forma concêntrica, em redor de um único eixo.

O turbilhão, que encima o mecanismo, é rodeado pela exibição de horas e minutos apresentados em discos concêntricos de alumínio e titânio. Embora não seja um relógio de mergulho, o HM7 Aquapod possui alguns detalhes comuns a este tipo de instrumentos. Esse é o caso da luneta unidireccional com escala de mergulho produzida em cerâmica com algarismos e indicadores gravados a laser e preenchidos com titânio. Ao contrário dos relógios “normais”, neste modelo MB&F a luneta não está inserida na caixa, flutuando à volta dela como se de uma bóia salva-vidas se tratasse.

À semelhança das alforrecas em que se inspira, o HM7 brilha no escuro. Além dos discos de horas e minutos, preenchidos com material luminescentes, o interior do movimento também conta com Super-LumiNova. O HM7 Aquapod estará disponível com caixa de 53,8 mm em titânio com luneta em cerâmica azul ou com caixa em ouro rosa com luneta em cerâmica preta. Ambas as versões são finalizadas com uma pulseira de borracha com textura de tentáculos na parte inferior.


8. Montblanc

TimeWalker Chronograph 1000

Em 2017, a Montblanc aposta no desporto motorizado e renova a sua colecção TimeWalker. A principal novidade reside no novo Cronógrafo TimeWalker 1000, limitado a 18 unidades com caixa de 44 mm em titânio DLC preto. Este cronógrafo tem a capacidade de medir intervalos de tempo com a precisão de um milésimo de segundo e o seu mostrador leva-nos, através da disposição dos dados, até ao painel de controlo de um automóvel.

As indicações oferecidas por este relógio são disponibilizadas por um mecanismo com dois “motores” diferentes. O primeiro está ao serviço do cronógrafo e fornece uma reserva de marcha de 45 minutos, enquanto o segundo é exclusivamente dedicado à marcação das horas e minutos e oferece 100 horas de reserva de marcha. O calibre manual MB M66.26, conta com duas patentes principais e 22 patentes auxiliares.

Este ano, a colecção TimeWalker recebe ainda um modelo multifacetado. Trata-se do Cronógrafo TimeWalker Rally Timer Counter, um modelo de edição limitada a 100 exemplares capaz de se transformar em quatro relógios distintos: bolso, pulso, mesa ou afixado no painel de instrumentos. Este cronógrafo de corda manual, calibre MB M16.29, está disponível numa caixa de 50 mm em titânio.

TimeWalker Rallytimer

Dentro da linha TimeWalker destaque ainda para três modelos: Cronógrafo UTC, Cronógrafo Automático e Automático Data. O primeiro une a função de cronógrafo a uma complicação GMT. Trata-se de um relógio automático com caixa em aço de 43 mm revestida a DLC. O segundo assume-se como um cronógrafo convencional com caixa de 43 mm em aço e luneta em cerâmica. Já o TimeWalker Automático Data, destaca-se pela sobriedade oferecida pelo mostrador preto com indicação de data e pela caixa de 41 mm em aço.

Dentro da linha 1858, a Montblanc apresenta três novos modelos com um denominador comum: a utilização do bronze. Assim, o 1858 Cronógrafo Taquímetro é uma edição limitada a 100 exemplares com caixa de 44 mm em bronze. Este modelo está equipado com um cronógrafo monopulsante e um taquímetro. Já o 1858 Dual Time utiliza o bronze na luneta e na coroa. Inspirado em relógios da década de 1930, apresenta um mostrador preto e uma caixa de 44 mm em aço. Além da função de duplo fuso horário, o 1858 Dual Time disponibiliza ainda uma indicação de data.

As novidades na colecção 1858 fecham com um modelo automático simples, com mostrador preto e caixa de 44 mm em aço, com luneta e coroa em bronze.

1858 Bronze Cronógrafo Taquímetro

Finalmente, a Montblanc enriquece, este, ano a linha Heritage Chronométrie, com uma nova edição limitada a oito relógios ExoTurbilhão Rattrapante, que combina o patenteado Exoturbilhão da marca com um cronógrafo monopulsante rattrapante. Esta peça apresenta-se numa caixa de 47 mm em ouro vermelho, cujo calibre manual oferece 50 horas de reserva de marcha e indicações de segundo fuso horário e dia/noite.

Heritage Chronometrie ExoTurbilhão Rattrapante

9. Parmigiani Fleurier

Toric Chronometer

A Parmigiani inspira-se no primeiro relógio criado por Michel Parmigiani para apresentar o modelo Toric Chronometer. Trata-se de um relógio automático certificado pelo COSC, alimentado pelo calibre PF331 com 55 horas de reserva de marcha e rotor em ouro rosa de 22 quilates. O novo Toric Chronometer estará disponível com caixa em ouro vermelho ou branco com diferentes mostradores, finalizada por uma correia em pele Hermès.

Em 2017, a Parmigiani actualiza ainda a linha Tonda Métrographe. Os novos modelos, disponíveis com mostrador prateado ou preto, surgem agora com escala taquimétrica e com sub-contadores do cronógrafo redimensionados. Movido pelo calibre automático PF315 com 42 horas de reserva de marcha, o Tonda Métrographe disponibiliza ainda a função de data.

Tonda Metrographe

Outra das novidades apresentadas pela marca no SIHH 2017 foi o Tonda 1950, um modelo automático ultrafino com micro-rotor e 48 horas de reserva de marcha. Esta peça está disponível numa caixa de 40 mm em aço e em duas versões de mostrador.

Tonda 1950

A parceria entre a Parmigiani Fleurier e a Bugatti continua a dar frutos. Este ano, a marca relojoeira apresenta uma nova versão do Bugatti Aérolithe Performance. Com uma caixa em titânio de 41 mm, as diferenças com o seu antecessor são visíveis sobretudo no mostrador, com escalas taquimétricas duplas em km/h e mph, em vermelho e azul respectivamente, e o contador do cronógrafo do lado direito exibe ainda outra escala taquimétrica, desta feita para contagens a pé.

Existem agora referências à performance do carro em si, com velocidades de 100, 200, 300 e 400 km/h no flange da luneta. Este modelo é movido pelo calibre automático cronógrafo flyback PF335 com 50 horas de reserva de marcha.

Bugatti Aerolithe Performance

Finalmente, a Parmigiani não esqueceu o mercado feminino e apresentou o novo Ovale Pantographe, uma peça de edição limitada a 50 exemplares, com ponteiros telescópicos, calibre manual PF111 em ouro rosa e reserva de marcha de 8 dias. Este modelo está disponível com caixa oval em ouro rosa ou branco e correia de pele Hermès.

Ovale Pantographe

10. Piaget

Em 2017, a Piaget celebra o 60.º aniversário do Altiplano, o primeiro relógio extraplano do mercado aquando do seu lançamento em 1957. Como homenagem a este modelo emblemático, a marca revela duas novas peças: Altiplano Automático 43 mm e Altiplano Mecânico de corda manual 38 mm.

Os dois novos modelos inserem-se numa colecção de edição limitada e inspiram-se nos códigos estéticos dos primeiros relógios extrafinos: logótipo histórico, índices em ouro e assinatura cruz. Ambos apresentam um mostrador no azul histórico da Piaget, enquanto a sóbria cruz azul, também tirada das peças históricas da marca, dialoga com os índices em ouro branco e os finos ponteiros bâton emblemáticos da linha.

Com uma caixa de 43 mm em ouro branco, o modelo automático apresenta, à semelhança do primeiro modelo, a menção “Piaget Automatique”. Aqui, apenas a letra “A” foi subtilmente modernizada. Em homenagem a este relógio ultrafino de tamanho grande, a manufactura dotou este modelo do calibre 1200P, que representa a quarta geração dos seus movimentos ultrafinos de corda automática. Este revela uma massa oscilante em ouro, gravada com o brasão Piaget.

No coração do novo Piaget Altiplano 38 mm de diâmetro bate o calibre 430P (2,1 mm de espessura). Representando a segunda geração de movimentos de corda manual, este calibre concebido, desenvolvido, produzido e decorado pela manufactura tornou-se um digno herdeiro do 9P. Como este último, aclamado em 1957 pela beleza do seu perfil e da sua construção, o calibre 430P é conhecido pelo seu allure e fiabilidade.

Altiplano 60.º Aniversário

Mas as comemorações não se ficam por aqui e outros modelos celebram o aniversário. Para pulsos femininos, a Piaget aposta no Altiplano de 34 mm em ouro branco e mostrador rosa. Este modelo está também disponível com luneta engastada de diamantes. para eles, o tamanho da caixa cresce para os 40 mm e o mostrador apresenta-se em três tonalidades distintas – azul, verde ou bronze – com caixas em ouro rosa, branco ou amarelo, respectivamente.

Ainda na linha comemorativa Altiplano, dois outros modelos se destacam. De um lado, o Altiplano 900P, que agora surge numa edição limitada a 200 peças para senhora, em ouro rosa e com pontes brancas; do outro o primeiro turbilhão da colecção Altiplano. Trata-se de um relógio equipado com o movimento manual extraplano calibre 670P com 48 horas de reserva de marcha. Apresentando um mostrador em esmalte flinqué, o Altiplano Turbilhão destaca-se pela presença de diamantes baguette e de corte brilhante na caixa, asas e fecho.

Dentro da colecção Arte & Excelência da Piaget, destaque ainda para dois novos modelos: Altiplano Feather Marquetry e Double Jeu Lacework on Gold. O primeiro apresenta um trabalho de marchetaria com penas numa caixa de 38 mm em ouro branco, enquanto o segundo, limitado a oito peças, se destaca pela tampa da caixa em ouro rendilhado.

 


11. Roger Dubuis

Em 2017, a grande aposta da Roger Dubuis reside na icónica e extravagante colecção Excalibur. Comecemos com o Excalibur Quatuor Cobalt MicroMelt®. Em 2017, este relógio, que funciona a uma frequência de 115.200 alt/h com quatro espirais e cinco diferenciais, dá as boas-vindas a um novo material: o cromo-cobalto. Trata-se de uma liga de alto rendimento, que veste a caixa de 48 mm, a luneta, o fundo e a coroa, fabricada através da tecnologia MicroMelt®. Este processo de fabrico permite uma maior homogeneidade química do material e a criação de ligas especificas (metálicas e não metálicas), além de gerar uma porosidade controlada que, por sua vez, garante uma qualidade estável da liga.

O novo material é 100 por cento biocompatível, extremamente resistente à corrosão e muito duradouro, criando um rico contraste com o revestimento PVD azul da gaiola do tambor e das pontes do movimento, assim como com o mostrador, os índices das horas e a correia em pele de crocodilo do Excalibur Quatuor Cobalt MicroMelt®.

Excalibur Quatuor Cobalt MicroMelt®

Inspirado nas actividades ao ar livre e no universo automóvel, o novo Excalibur Spider Automático Esqueleto é uma expressão em azul/preto/vermelho do talento e engenho dos mestres da esqueletização da Roger Dubuis. A caixa de 45 mm em titânio foi interpretada de acordo com o conceito Spider, que amplia a esqueletização além do movimento, aplicando-a também na caixa e nos ponteiros.

Assim, nesta nova versão do Excalibur Spider Automático Esqueletizado, o destaque vai para os contrastes de cor, conseguidos mediante um tratamento DLC na caixa e coroa, detalhes de cauchu vulcanizado na luneta, coroa e laterais da caixa, assim como os detalhes vermelhos no aro, coroa, ponteiros e bracelete. O novo modelo é movido pelo calibre automático esqueletizado RD820SQ e está disponível numa edição limitada a 88 peças.

Excalibur Spider Automático Esqueletizado

À semelhança da lava azul eléctrica que brota de alguns vulcões, o novo Excalibur 36 automático surge com uma caixa em titânio de 36 mm com tratamento DLC preto, coroada por uma luneta engastada com 48 safiras azuis. O fulgor das pedras preciosas reflecte e acentua o brilho do mostrador com revestimento PVD azul e decoração “raios-de-sol”. Limitado a 28 peças, o Excalibur 36 é movido pelo calibre automático RD830, com rotor em ouro rosa de 22 quilates e uma reserva de marcha de 48 horas.

Excalibur 36

As novidades da Roger Dubuis no SIHH ficaram ainda marcadas por uma estreia. Trata-se do novo Excalibur Spider Full Carbon, cujo movimento é o primeiro mecanismo da história com platina, pontes e gaiola superior do turbilhão em carbono.  A utilização deste material contribuiu para, além de maior leveza e resistência, um aumento significativo da reserva de marcha, que agora se encontra nas 90 horas, ao invés das anteriores 60. Limitado a 28 peças, o novo modelo é movido pelo calibre manual RD509SQ e apresenta-se numa caixa de carbono e com bracelete em borracha.

Excalibur Spider Full Carbon

Finalmente, a Roger Dubuis voltou a surpreender, desta feita ao anunciar uma nova parceria com a marca de pneus Pirelli e com o lançamento de dois relógios resultantes dessa aliança: o Excalibur Spider Pirelli Esqueleto Automático e o Excalibur Spider Pirelli Duplo Turbilhão Voador, ambos com braceletes realizadas em borracha proveniente dos pneus Pirelli que venceram o Campeonato de Fórmula 1 do Mónaco em 2016, certificados pela própria Pirelli.

O Excalibur Spider Esqueleto Automático está disponível numa edição limitada a 88 peças, quanto o Excalibur Spider Duplo Turbilhão Voador é limitado a apenas 8 exemplares e oferece, aos seus compradores, acesso ao backstage de Fórmula 1 de qualquer equipa. No que ao design diz respeito, ambos se apresentam vestidos de preto com detalhes em azul.

Excalibur Spider Pirelli Duplo Turbilhão Voador

12. Richard Mille

No SIHH 2017, a Richard Mille apresentou o cronógrafo rattrapante com turbilhão mais leve do mundo. Trata-se do RM 50-03 McLaren F1, um relógio produzido em colaboração com o construtor britânico de fórmula 1 e que, com pulseira incluída, pesa menos de 40 gramas. Esta leveza foi possível graças à utilização de materiais de vanguarda, como o titânio e o carbono TPTTM, e a um novo material, nunca antes utilizado em relojoaria: o Graph TPTTM, ou grafeno, seis vezes mais leve do que o aço e 200 vezes mais resistente.

O movimento turbilhão com cronógrafo rattrapante deste modelo pesa apenas sete gramas – graças à platina e pontes em titânio grau 5 e carbono TPTTM totalmente esqueletizado – é capaz de suportar impactos de até 5000 G.

O RM 50-03 McLaren F1 é o primeiro relógio de 10 peças a serem produzidas fruto da parceria com o construtor automóvel e será produzido numa edição limitada e numerada de 75 unidades, estando disponível exclusivamente nas boutiques Richard Mille.


13. Ulysse Nardin

A ligação da Ulysse Nardin ao universo marítimo é sobejamente conhecida e, em 2017, a marca aposta em força na colecção Marine, apresentando quatro novidades: Marine Regatta, Marine Turbilhão, Marine Chronometer Calendário Anual e Marine Regatta Artemis Racing.

O primeiro apresenta-se com um mecanismo patenteado de temporizador de contagem regressiva que pode ser programado de 1 a 10 minutos. Quando a contagem termina, o ponteiro dos segundos bidireccional começa a andar para cronometrar a corrida. O Marine Regatta está equipado com um movimento de manufactura com 3 dias de reserva de marcha, mudança de data bidireccional e é disponibilizado numa caixa de 44 mm em aço e borracha.

Já o Marine Turbilhão apresenta-se numa clássica caixa de 43 mm em aço e destaca-se pelo mostrador em esmalte grand feu, onde o turbilhão voador assume posição de destaque. Este modelo está equipado com o novo movimento de manufactura UN128.

Também com o mostrador em esmalte grand feu, mas azul ao invés de branco, está outra novidade Ulysse Nardin para 2017. Trata-se do Marine Chronometer Calendário Anual, uma peça certificada pelo COSC que se destaca pela função de calendário anual disponibilizada pelo calibre de manufactura UN113 com 60 horas de reserva de marcha.

A Ulysse Nardin apresenta o modelo Diver Chronograph Artemis Racing em edição limitada, assinalando a parceria entre a marca e a equipa Artemis Racing da America’s Cup. A manufactura suíça presta assim homenagem ao savoir-faire marítimo da Artemis Racing com o Diver Chronograph Artemis Racing, limitado a 250 peças.

Este relógio, que alia o design inspirado no veleiro Artemis Racing à precisão da colecção Diver, oferece resultados de excepção tanto em terra firme como debaixo de água. A sua cor azul e acabamentos em forma de ondas em ambos os lados da luneta são o reflexo perfeito do seu carácter marítimo. O mostrador surge decorado com uma gravação do catamaran a sulcar o mar e o logotipo estilizado da Artemis Racing aparece no contador de 30 minutos, situado às 9h, e no bracelete.

Como instrumento de mergulho, o novo Diver Chronograph Artemis Racing possui uma impermeabilidade até 200 metros, graças a uma coroa aparafusada. Já a luneta giratória unidireccional permite aos mergulhadores manter o controlo do tempo debaixo de água, enquanto os ponteiros luminescentes aumentam a visibilidade na escuridão. Com caixa de 45,8 mm em aço revestido a cauchu, o novo cronógrafo Diver apresenta ainda um fundo de caixa que ostenta uma medalha simbolizando o veleiro em regata.

Diver Chronograph Artemis Racing

A Ulysse Nardin destaca ainda a sua destreza na arte do esmalte com o Clássico Manufactura “Grand Feu” em azul translúcido. O efeito final é de simplicidade aerodinâmica. Com um preço competitivo, esta última incorporação à colecção Classico Manufactura “Grand Feu” é uma aproximação mais acessível à filosofia da Ulysse Nardin: tradição artesanal e savoir-faire baseado na inovação.

Classico Manufacture Grand Feu

Em 2017, a Ulysse Nardin procura seduzir os coleccionadores com o novo Hourstriker Pin-Up em edição limitada. O savoir-faire da manufactura suíça traduz-se numa bailarina burlesca que dá vida ao mostrador desta peça. As curvas sensuais da misteriosa bailarina escondem-se por detrás das asas e cauda de um pavão real e deslizam com a activação da função repetição de minutos. As penas abrem-se para que se possa apreciar toda a beleza da personagem.

Hourstriker Pin Up

Ainda na colecção Classico, a Ulysse Nardin apresenta o modelo Rooster, que presta homenagem ao Ano do Galo. No mostrador da nova peça é visível este animal, numa cena bastante realista, realizada graças à técnica ancestral do champlevé, uma arte de esmaltagem que poucos artesãos dominam. O Classico Rooster consegue reunir a excelência técnica da Ulysse Nardin e a complexa arte da esmaltagem num modelo elegante.

Classico Rooster

“Last but not least”, a Ulysse Nardin lança ainda em 2017 o seu relógio concept Innovision II. Este modelo apresenta dez inovações essenciais que deverão ser introduzidas na colecção ao longo do ano. Entre as inovações apresentadas, destaque para o duplo escape constante, a roda do balanço em silício com elementos em ouro e micro pás estabilizadoras, o sistema de conversão de energia automático ou os canais preenchidos com Super-LumiNova integrados na ponte em vidro da roda de balanço.


14. Urwerk

UR T8 Transformer

No ano em que celebra o seu 20.º aniversário, a Urwerk apresenta o seu primeiro relógio “transformer”. Trata-se do T8 Transformer, uma peça reversível que apresenta horas satélite, engrenagem planetária e um movimento automático (base Zenith) com 50 horas de reserva de marcha. Este modelo está disponível numa edição de 30 exemplares em titânio PVD all-black e outros 30 numa versão bicolor com partes da caixa sem tratamento PVD.

Para pulsos femininos, a Urwerk apresenta o UR-106 Flower Power, uma edição limitada a 11 peças em aço e titânio, cujo movimento automático disponibiliza, além das horas satélite características da marca, a complicação de fases da Lua.

UR 106 Flower Power

15. Vacheron Constantin

Les Cabinotiers Celestia

As complicações astronómicas dominaram as novidades da Vacheron Constantin para este ano, com especial destaque para o Les Cabinotiers Celestia, um modelo que encerra 23 complicações, entre elas tempo civil, sideral e solar, calendário perpétuo com fases da Lua e disco dia/noite, nascer e por do sol, estações do ano, equinócios, solstícios e signos do zodíaco, marescópio, indicador de marés e mapa celeste com dois discos de safira. Tudo isto animado pelo calibre 3600 com escape turbilhão e três semanas de reserva de marcha, graças a seis tambores de corda. O Les Cabitioners Celestia é uma peça única com caixa de 45 mm em ouro branco.

Ainda no universo astronómico, a Vacheron apresenta três relógios Métiers D’Art Copernicus Celestial Spheres com mostradores em esmalte grand feu, gravação manual e inspirados em representações barrocas de Andreas Cellarius. Os mostradores da colecção articulam-se em duas partes: um Sol em ouro rosa estampado e gravado à mão orna a oval central do mostrador, enquanto o disco externo é dedicado às variações decorativas artesanais. Estes modelos são animados pelo calibre automático de manufactura 2460 RT.

Métiers D’Art Copernicus Celestial Spheres

Da arte astronómica para a arte de dar voz ao tempo, a Vacheron apresenta o Les Cabinotiers Symphonia Grande Sonnerie 1860, um modelo que oferece uma combinação de grande sonnerie, petite sonnerie e repetidor de minutos. Equipado com um movimento com corda manual bidireccional, composto por 727 peças ajustadas, decoradas e montadas à mão, o novo modelo exigiu 10 anos de desenvolvimento e conta com dois tambores de corda que fornecem 72 horas de reserva de marcha ao movimento e 20 horas no modo grande sonnerie.

Les Cabinotiers Symphonia Grande Sonnerie 1860

No que à colecção Patrimony diz respeito, a Vacheron Constantin lança o Patrimony Fases da Lua e Data Retrógrada, uma peça que, como o próprio nome indica, disponibiliza uma combinação inédita de duas complicações: fases da Lua e data retrógrada. Equipado com um novo calibre de manufactura 2460 R31L, o novo modelo é certificado pelo Selo de Genebra e está disponível numa caixa de 42,5 mm em ouro rosa ou branco.

Patrimony Fases da Lua e Data Retrógrada

PARTILHAR
A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.