No passado fim-de-semana, a Turbilhão esteve em Imola para apoiar os pilotos portugueses, Filipe Barreiros e Francisco Guedes, na segunda prova da Ferrari Challenge Europa.

A convite da Ferrari e da Boutique dos Relógios Plus – patrocinadora da equipa portuguesa -, a Turbilhão esteve, no passado fim-de-semana, no mítico circuito de Imola, em Itália, onde a dupla de pilotos nacional, Filipe Barreiros e Francisco Guedes, participou em mais uma prova da Ferrari Challenge Europa.

dsc_2891O Ferrari 458 dos pilotos portugueses entrou em pista logo na manhã de sábado para a primeira sessão de qualificação, da responsabilidade de Filipe Barreiros, que alcançou o 22º lugar com um tempo de 1m50s611, colocando-se, assim, na 11ª fila da grelha de partida para a corrida do dia seguinte. Segundo o piloto, “as coisas não correram mal, mas a nossa falta de experiência na pista justifica um pouco os tempos efectuados. Quando me preparava para baixar do segundo ’50’, acabei por não o conseguir, por causa de bandeiras amarelas, ou simplesmente porque havia muitos carros em pista, que limitavam a minha progressão”.
dsc_2822
Durante a tarde de sábado, foi a vez de Francisco Guedes assumir o volante, terminando em sexto na prova de qualificação, o que lhe garantiu um lugar na terceira linha da grelha de partida: “entrei bem e consegui fazer um tempo que, durante algum tempo, foi o melhor da sessão. Só que encontrei um piloto mais lento e por isso fui descendo na grelha”.

O dia de Domingo amanheceu cinzento, com o Sol a brilhar timidamente por entre as nuvens. No Autódromo Enzo e Dino Ferrari o ambiente era de festa e de algum nervoso miudinho. Afinal, a competição era agora a sério e as corridas estavam prestes a começar.

Filipe Barreiros, estava bastante confiante no seu desempenho na pista de Imola e, através de um andamento bastante consistente, muito mérito e atitude, colocou-se entre os 15 primeiros. Contudo, uma ligeira saída numa das “chicanes” atrasou-o de forma definitiva e relegou-o para a 24ª posição.

“À entrada de uma das ‘chicanes’ travei tarde de mais e fui parar à gravilha, onde fiquei enterrado. Perdi muito tempo até me tirarem daquela posição e o resultado acabou por ser pior do que em Monza, mas acho que estou mais rápido e mais confiante, pelo que foi uma experiência muito positiva”, comentou o piloto no final da corrida.

dsc_2807

À tarde, e já com o Sol a brilhar quase em pleno, tudo parecia correr na perfeição para Francisco Guedes. No entanto, o piloto português foi obrigado a abandonar a três voltas do final, abalroado por um adversário quando discutia o terceiro lugar. Regularmente entre os mais rápidos da corrida, Francisco Guedes conseguiu, nas últimas voltas, conquistar a terceira posição. Quando o pódio parecia quase certo, um acidente com o seu Ferrari 458 relegou-o para a 18ª posição.

“Tentei arrancar bem e consegui desde cedo colocar-me no quarto lugar. Depois andei a estudar a hipótese de ultrapassagem para conquistar o terceiro posto, mas as velocidades são muito idênticas, pelo que só a três voltas do final, numa discussão de travagem, o consegui passar… Só que, logo a seguir, ele entrou-me pela traseira do Ferrari, levantando voo e ficando fora de prova, o mesmo me acontecendo. Foi pena, pois era mais um pódio quase certo e um bom resultado em Imola, que é um circuito fantástico”, concluiu Francisco Guedes.

dsc_2805

A dupla de pilotos continua, todavia, confiante e concentra agora as suas atenções na próxima corrida que decorrerá a 3 de Junho no Autódromo Internacional de Mugello, em Itália.

Mais informações em www.corseclienti.ferrari.com

A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.