Longe vai o tempo em que as complicações eram um exclusivo dos pulsos masculinos. Fascinadas pelo universo da relojoaria mecânica, as mulheres chamam a si a vontade e o poder de usar mais do que um simples relógio. A arte por detrás de cada mecanismo assume cada vez mais importância e se, no coração da peça do tempo, bater um turbilhão, o fascínio é inigualável.

Complicação, um galicismo introduzido na linguagem relojoeira, refere-se a qualquer função adicional num relógio mecânico, além das horas, minutos e segundos. Até recentemente, estes instrumentos eram reservados exclusivamente aos homens e a ideia de criar versões especiais para pulsos femininos considerada demasiado trivial. Assumia-se simplesmente que as mulheres não se interessavam pelo zénite da alta relojoaria.

De_Grisogono_Hublot

Mas depois de um período em que a relojoaria mecânica foi encarada como um universo quase exclusivamente masculino, hoje, cada vez mais as mulheres mostram uma propensão para belos relógios mecânicos que aliam a perícia técnica à sofisticação casual que reflecte o seu estilo de vida activo.

Blacpain_Girard_Perregaux

E se, até há bem pouco tempo, as complicações disponíveis para pulsos femininos eram sobretudo cronógrafos ou calendários anuais, a verdade é que, actualmente, o interesse volta-se para outras áreas da relojoaria bem mais complicadas, como é o caso das equações do tempo, repetições de minutos e, claro, os turbilhões.

Considerado o rei das complicações relojoeiras, o turbilhão, inventado por Abraham-Louis Breguet, é uma minúscula obra de arte, cuja beleza visual não deixa ninguém indiferente, agora disponível em peças do tempo repletas de glamour, especialmente dedicadas a pulsos femininos.

Saiba mais na edição impressa da Turbilhão

A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.