Explorar os encantos da paisagem verdejante do Minho e de todo o noroeste de Portugal, entrecortada por vilas e cidades onde se respira história e património, é motivo suficiente para visitar esta região. Mas damos-lhe mais um: mergulhar no universo dos vinhos verdes, que conquistam pela singularidade. 

Parta numa viagem de descoberta e mergulhe nas origens e sabores desta cultura vinícola milenar. Deixe-se elevar por experiências únicas e memoráveis, onde o vinho é protagonista e os cenários são deslumbrantes. Seja a percorrer a Rota do Vinho Verde ou com um itinerário próprio, todos os caminhos nos levam a destinos onde somos seduzidos pelos vinhos excepcionais e exclusivos desta região.

Apreciados pela sua frescura e elegância, os vinhos verdes apresentam peculiaridades que são únicas no mundo. Começando pelo seu nome, que em nada tem que ver com a cor dos vinhos. Deve-o somente ao tom predominante do território que os vê nascer, já que, na verdade, a sua paleta é tão vasta quanto os aromas e sabores que se extraem da enorme diversidade de brancos, rosés, tintos, espumantes e aguardentes.

Aos vinhos de perfil jovem, leve e fresco, aliam-se outros de carácter intenso e estruturado, com uma multiplicidade de sabores que vai dos mais elegantes ao mais complexos. Há um vinho verde para cada ocasião e uma enorme panóplia que acompanha um menu completo, desde saladas frescas de verão, peixe e marisco, até aos pratos de carne, sem esquecer a gastronomia regional, na qual os tintos têm um lugar de eleição.

A versatilidades destes vinhos reside nas características do seu terroir. São produzidos exclusivamente na Região Demarcada dos Vinhos Verdes (uma das maiores e mais antigas regiões vitivinícolas do mundo) a partir de castas autóctones, para que assim preservem toda a tipicidade de aromas e sabores que os distinguem a nível mundial. Por entre uma manta de vegetação que atravessa montanhas, vales e rios e que se estende pela região de Entre-Douro-e-Minho, os vinhos verdes encontram as condições ideais para afirmarem toda a sua singularidade. A influência atlântica, os solos férteis de origem maioritariamente granítica, o clima ameno e de elevada precipitação e as formas de cultivo da vinha, são os principais responsáveis pelas qualidades e originalidade destes verdadeiros néctares. 

A excelência dos vinhos e a vitalidade desta região – que conta com o contributo da iniciativa “Vinho Verde Young Projects”, criada e dinamizada por quatro jovens produtores – tem-se afirmado como um elemento diferenciador e de valorização de Portugal no mundo, conquistando mercados internacionais e impulsionando o crescimento do enoturismo. 

Palácio da Brejoeira

Neste domínio, a região é também fértil na sua oferta, e para desvendar os segredos da singularidade dos vinhos verdes, nada como ir às origens. A arte e a tradição da cultura e produção vinícola pode ser vivida e experienciada em quintas seculares ou familiares, nos processos de vinificação nas adegas, muitas delas abertas a visitas, em provas de degustação que exigem sentidos apurados e, na altura própria, na apanha da uva. Para relaxar, propostas também não faltam, desde longos passeios e piqueniques nas vinhas ao tratamento de vinoterapia que alguns hotéis da região, oferecem. A ode aos sentidos só fica completa com as experiências gastronómicas proporcionadas pelos excelentes restaurantes da região que aliam harmonização vínica que não vai querer perder.

Nesta viagem, a Quinta de Soalheiro é de visita obrigatória para conhecer a terceira geração da família que criou a primeira marca da casta Alvarinho em Melgaço; e no Palácio da Brejoeira, classificado como Património Nacional desde 1910, pode apreciar a prestigiada marca com o mesmo nome, também da casta Alvarinho. Já o restaurante Ferrugem (Vermoim, Famalicão) é um verdadeiro embaixador da gastronomia minhota e dos vinhos verdes, onde os produtos autóctones e de produção biológica têm lugar reservado à mesa.

Além destas sugestões, deixamos-lhe mais três para juntar à sua experiência.

 

Quinta da Aveleda

Reza a história que as origens da Quinta da Aveleda remontam ao século XVI, mas foi há 150 anos que o seu fundador Manoel Pedro Guedes produziu o seu primeiro vinho branco, que de imediato foi distinguido com dois prémios internacionais. Desde então, a paixão pelo vinho atravessa gerações que acrescentam inovação a saberes centenários para continuarem a produzir vinhos ímpares que agregam as mais icónicas e exuberantes castas da região. Para lá dos muros altos de granito que envolvem a Quinta da Aveleda, em Penafiel, escondem-se encantos e detalhes que é preciso revelar. Todas as experiências são criadas à medida de cada visitante, grupos ou empresas, mas a visita aos belíssimos jardins históricos de estilo romântico, onde pontuam espécies raras de árvores centenárias, é já em si um momento único e inesquecível.

 

Casa da Calçada Relais & Châteaux

Conheça o ambiente romântico e acolhedor da Casa da Calçada Relais & Châteaux, um hotel de charme de 5 estrelas no coração de Amarante, instalado num palácio do século XVI. No Largo do Paço, o premiado restaurante com 1 Estrela Michelin, o Chef Tiago Bonito sugere uma cozinha de raiz portuguesa, onde os menus se equilibram entre o tradicional e o contemporâneo, ajustados a gostos simples ou paladares mais requintados. Sempre com originalidade e os mais frescos produtos da região, acompanhados de uma vasta carta de vinhos, onde os verdes se destacam.

 

Monverde Wine Experience Hotel

Galardoado em 2021 com o Internacional Best of Wine Tourism Award, o Monverde Wine Experience Hotel, membro da colecção Unlock Boutique Hotels, nasceu entre os vinhedos da Quinta da Lixa, em Amarante, e é fruto da paixão da família Meireles pelos vinhos verdes. As provas de degustação aliam-se à experiência única de criação do nosso próprio vinho, proporcionando momentos memoráveis que despertam em nós a mesma paixão que esta família dedica à cultura vinícola há mais de três décadas. No restaurante, o Chef Carlos Silva conduz-nos numa viagem pelos sabores da região, num estilo muito próprio, e pelo carácter inconfundível dos vinhos da Quinta da Lixa, além de uma selecção dos melhores representantes das várias regiões vitivinícolas nacionais.

A Turbilhão é uma revista semestral, especializada na área da Alta Relojoaria e do Luxo.